Cidades

Em greve há 138 dias, professores da UFMT fazem nova assembleia

Publicados

em

ufmt

Os professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em greve há 138 dias, devem se reunir em uma nova assembleia, marcada para às 13h30 desta quarta-feira (14). Entre as reivindicações da categoria, que paralisou as atividades desde o dia 28 de maio, está o reajuste de 27% no salário e a reestruturação de carreira. A greve já é considerada a maior da história da instituição. Até então, a que havia durado mais tempo tinha sido a de 2012, que chegou ao fim após 125 dias.

A Associação dos Docentes da UFMT (Adufmat) informou que devem se reunir representantes do comando de greve dos campi da UFMT de Cuiabá, Sinop, Barra do Garças e Rondonópolis. A assembleia será realizada na sede da Adufmat.

“Vamos discutir a proposta de que encerremos a greve nesta sexta-feira (16), juntamente com outras instituições federais, mas também vamos apresentar os documentos que a reitoria nos deu sobre as reivindicações regionais, como problemas administrativos e funcionamento da biblioteca e restaurante universitário”, detalhou o professor Roberto Boaventura, membro do comando.

Leia Também:  Com 1h de atraso, Senado inicia votação de impeachment

A expectativa, caso a greve seja declarada como encerrada, é que as aulas sejam retomadas em todos os campi da UFMT na próxima segunda-feira (19). “Os professores vão avaliar se se sentem tranquilos em acatar as respostas da reitoria ou se vão manter a greve por conta de não contemplar aquilo que desejamos”, comentou o docente.

O governo federal chegou a oferecer 21% de aumento dividido em quatro anos, mas a proposta foi rejeitada pela categoria. Em outra proposta, o governo federal propôs reajuste de 10,8% dividido em 2 anos – 5,5% em 2016 e 5% em 2017.

A UFMT tem cerca de 20 mil alunos e 1,8 mil professores, sendo 1,7 mil concursados e 100 substitutos. A universidade tem campus em Cuiabá, Sinop, Barra do Garças e Rondonópolis.

Técnicos voltaram
Na semana passada os técnicos da UFMT encerraram a greve de 133 dias depois de aceitarem reajuste de 10% do governo federal. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Técnicos e Administrativos da UFMT (Sintuf-MT), a categoria também conseguiu aumento de 24% no vale-alimentação e 300% no auxílio creche/escola aos servidores com filho de até seis anos de idade.

Leia Também:  COMPROMISSO COM A SAÚDE: POSTO DE SAÚDE SÃO VICENTE É REINAUGURADO APÓS FICAR FECHADO POR ANOS

Com o fim da greve dos técnicos, os órgãos administrativos da universidade, a biblioteca, os laboratórios, o protocolo central e as secretarias de curso voltaram a funcionar. Apenas o restaurante universitário não voltou a funcionar.

G1 MT

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Cidades

Polícia Militar realiza troca de comando do 1º Batalhão em Cuiabá  

Publicados

em


Nesta terça-feira (19.10), às 17h, a Polícia Militar realiza a solenidade de troca de comando do 1º Batalhão “Daniel de Queiroz”, o mais antigo da instituição. O tenente-coronel Marco Antônio Guimarães passará o comando da unidade ao tenente-coronel Reginaldo Azizes Ferreira. A solenidade será realizada na sede do 1º BPM, no bairro do Porto, em Cuiabá.   

O ato solene será presidido pelo comandante-adjunto da Polícia Militar, coronel Daniel Lipi Alvarenga, e o comandante do 1º Comando Regional de Cuiabá (1º CR), coronel Esnaldo Moreira. Tenente-coronel Marco Antônio Guimarães comandou por mais de dois anos o batalhão centenário da PM, que faz parte da história mato-grossense e completou 104 anos de fundação em junho deste ano.  

A unidade é subordinada ao 1º Comando Regional e atende mais de 30 bairros da baixada cuiabana, por meio de três companhias da Polícia Militar instaladas na Beira Rio, Lixeira e Boa Esperança. 

Serviço

Solenidade de passagem de comando do 1º Batalhão   

Data: 19.10.2021   
Horário: 17 h   
Local: Avenida XV de Novembro, no bairro do Porto, em Cuiabá

Leia Também:  Sábado (20): Mato Grosso registra 241.458 casos e 5.615 óbitos
Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA