GERAL

Secretaria de Meio Ambiente de MT proíbe soltura de predadores de piranhas no Lago do Manso sem autorização

Na semana passada, donos de imóveis na região anunciaram uma campanha por contra própria para comprar predadores da espécie para evitar ataques de piranha na região.

Publicados

em

Lago do Manso se tornou um dos principais pontos turísticos de MT — Foto: Christiano Antonucci/Secom-MT

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) proibiu a soltura de peixes predadores de piranhas no Lago do Manso, em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, sem autorização. Na semana passada, donos de imóveis na região anunciaram uma campanha por contra própria para comprar predadores da espécie para evitar ataques de piranha na região.

Nesta semana, a Coordenação do Grupo Salve o Mando das Piranhas solicitou emergencialmente e os deputados Elizeu Nascimento e Janaína Riva eviaram um ofício à secretaria requerendo cópia do resultado do estudo feito em 2011, quando ocorreram os primeiros ataques de piranhas no Lago do Manso.

O deputado Elizeu solicitou ainda que a Sema esclareça o motivo de não autorizar a soltura do peixe da espécie Tucunaré, para controle das piranhas.

Conforme o documento, a secretaria tem sete dias para responder aos questionamentos.

Uma reunião foi realizada, nessa segunda-feira (22), pela Coordenação do Grupo Salve o Manso das Piranhas, para discutir as ações com a Sema, Secretaria de Turismo, e representantes do governo.

Leia Também:  Cultura da fartura impulsiona desperdício de alimentos no Brasil

Em nota, a Sema disse que a proibição segue o decreto 337/2019, que disciplina o procedimento de licenciamento ambiental para cultivo de espécies de peixes.

“A secretaria esclarece que o lago do Manso, por ser um ambiente de ecossistema lêntico, nos quais a água apresenta pouco ou nenhum fluxo, é propício ao desenvolvimento de peixes como a piranha. Estes peixes normalmente são atraídos por sons de frutas e sementes que caem de árvores e batem na água. Eventualmente, poderão haver ataques a pessoas ou animais e, para que isso ocorra a piranha precisa de um chamariz”, explica.

Ainda segunda a secretaria, a população deve evitar jogar comida e entrar na água com qualquer lesão não cicatrizada no corpo para que os peixes não sejam atraídos.

“Outra recomendação, é realizar o cercamento de quiosques que ficam dentro da água com sombrites ou outro tipo de tela que permita a passagem da água e impeça o trânsito de qualquer tipo de peixe”, explica.

De acordo com a secretaria, o interessado em soltar predadores na região deve protocolar a solicitação prévia de peixamento junto à Coordenadoria de Fauna e Recursos Pesqueiros da Sema com três meses de antecedência. O processo de soltura deve ser acompanhado por um responsável técnico acompanhado de ART.

Leia Também:  Mãe que compartilhava filha com namorados é condenada por estupro

G1 MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Preço da gasolina cai pela segunda vez neste ano após 9 altas consecutivas em MT

Publicados

em

Preços do combustível cai pela segunda vez neste ano — Foto: Gcom-MT

A Petrobras anunciou uma nova redução no valor cobrado pelo litro da gasolina nas refinarias. Esta é a segunda redução do ano após sucessivos reajustes. A redução é de 3,71%.

O preço médio de venda da gasolina passará a ser de R$ 2,59 por litro, queda de R$ 0,11. O preço do diesel passa a ser de R$ 2,75, queda de R$ 0,11 (-3,85%).

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio do litro da gasolina é comercializado em Cuiabá por R$ 5,65. Com a redução, deve voltar para a casa dos R$ 5,50.

Essa redução já está sendo aplicada nas refinarias e deve chegar para o consumidor até o final de semana.

Mesmo com essa segunda baixa, ao longo do ano, a alta do preço da gasolina continua sendo superior a 40%.

Fonte: G1 MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Amazon Prime chega ao Brasil: frete grátis ilimitado e Vídeo por R$ 9,90
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA