Saúde

Brasil registra 78,7 mil novos casos de covid-19 e 2.037 mortes

Publicados

em


O Brasil registrou 78,7 mil novos casos de covid-19 e 2.037 mortes decorrentes da doença, em 24 horas. Os dados foram atualizados hoje (12) pelo Ministério da Saúde.

De acordo com levantamento diário, o Brasil acumula 17.374.818 casos confirmados da doença e 486.272 mortes registradas. O número de recuperados chegou a 15.761.177.

De acordo com o Ministério da Saúde, 3.816 casos estão em investigação.

Estados

O estado de São Paulo tem o maior número de casos acumulados desde o início da pandemia, com 3.499.577 casos e 117.887 óbitos. Em seguida estão Minas Gerais (1.678.558 casos e 42.872 óbitos); Rio Grande do Sul (1.148.015 casos e 29.613 óbitos) e Paraná (1.147.348 casos e 28.086 mortes).

Boletim epidemiologico 12.06.2021 Boletim epidemiologico 12.06.2021

Fonte: Ministério da Saúde

 

Edição: Kelly Oliveira

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Por que o Bolsa Família ajuda a aumentar a taxa de cura da tuberculose
Propaganda

Saúde

Consórcio Nordeste suspende compra da vacina Sputnik V

Publicados

em


O Consórcio Nordeste, que reúne governadores da região, anunciou hoje (5) que suspendeu a compra de 37 milhões de doses da vacina contra a covid-19 Sputnik V, da Rússia. O contrato só será retomado caso haja autorização para o uso do imunizante pelas autoridades sanitárias.

Segundo o presidente do consórcio, governador do Piauí, Wellington Dias, a decisão foi tomada por conta dos condicionantes impostos pela Anvisa e pela não inclusão do imunizante no Programa Nacional de Imunizações (PNI).

“É lamentável, o Brasil vive uma situação com alta mortalidade, mais de mil óbitos por dia. Temos vacinas disponíveis, mas impedidas de entrar no Brasil devido uma decisão da Anvisa que faz uma alteração no padrão de teste junto com a não inclusão do Ministério da Saúde no plano nacional de vacinação e a falta da licença de importação, tivemos a suspensão da entrega da vacina até que se tenha uma autorização do uso do imunizante no Brasil”, disse Dias.

A Anvisa liberou a importação em junho. Mas apontou uma série de exigências em razão da falta de documentos e de possíveis riscos identificados no imunizante. Entre os condicionantes estão limites para os lotes e testagem das vacinas para averiguar determinados aspectos, como riscos decorrentes do uso da tecnologia de vírus inativado.

Leia Também:  Por que o Bolsa Família ajuda a aumentar a taxa de cura da tuberculose

A Anvisa também condicionou a aplicação das vacinas à autorização pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). Os estados cuja importação foi autorizada também precisam realizar estudos de efetividade.

A Agência Brasil entrou em contato com a Anvisa e com o Ministério da Saúde e aguarda retorno.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA