Home Saúde Por falta de recursos, hospital de Barra do Bugres deixa de atender...

Por falta de recursos, hospital de Barra do Bugres deixa de atender população da região

0

hospitalCom custo de manutenção mensal de mais de R$ 1 milhão e 200 mil reais e dívidas acumuladas de mais de R$ 1 milhão e 800 mil reais, o hospital público de Barra do Bugres deixou nesta semana de atender a pacientes de outras cidades. Segundo o Prefeito José Florindo, o caso já é de “calamidade pública”, já que há mais de quatro meses o Governo do Estado não efetua o repasse mensal de R$ 200 mil reais para o hospital.

Há alguns meses a rodovia que liga ao município chegou a ser interditada para cobrar este mesmo repasse, medida que é considerada ‘paliativa’ pelo prefeito. Em entrevista à Rádio Pioneira ele afirmou que o caminho é a Justiça. “Se fosse fechar a rodovia hoje, só abriria a hora que arrumasse uma solução definitiva. Então, acho que o pior caminho hoje seria este. O caminho é o Judicial mesmo”, destacou.

A Prefeitura de Barra do Bugres entrou com Ação Liminar contra o Governo do Estado por meio do Processo Nº 134267, que tramita na 2ª instância no Tribunal de Justiça de Mato Grosso. O processo baseia-se na Lei Nº 7.4923/2001, pela qual, segundo o Prefeito José Florindo, a unidade teria sido declarada Hospital Regional. “Sabemos que é regional porque tratamos de 11 municípios. E o Estado tem a dizer que não é regional e por isso repassa somente R$ 200 mil reais por mês”, disse.

Com o repasse já no 4º mês de atraso, a Prefeitura está inadimplente com fornecedores e há salários em atraso. “Estamos sem pagar médicos, sem pagar nossas obrigações, por isso cortamos o atendimento aos municípios vizinhos e vamos atender somente Barra do Bugres”, destacou.

Por causa do atraso no pagamento dos salários, a equipe dos anestesistas que atende na unidade está paralisada, o que impede a realização de cirurgias no hospital. “A única equipe que está paralisada é a dos anestesistas, que é uma empresa contratada, com a qual temos custo aproximado de R$ 90 mil mês. Estamos tocando na precariedade e com o atraso no pagamento, os anestesistas preferiram parar o serviço até que recebam. Para que eu possa pagar a eles, eu preciso receber o recurso do estado que também está atrasado. Os outros atendimentos estão normais e estamos atendendo só a população de Barra do Bugres”, reforça o prefeito.

A expectativa do gestor é de obter ainda nesta semana uma resposta do Tribunal de Justiça para o pedido de Liminar que pretende obrigar o Estado de Mato Grosso a repassar recursos suficientes para a manutenção do hospital como unidade regional. Caso não seja atendido, o prefeito diz que vai adotar outras medidas. “Estamos aguardando a resposta do Estado neste processo, para ver se podemos voltar à atividade normal. E estamos estudando como vamos tocar o hospital daqui para frente também, já que o Estado não considera ele como regional, esquecendo que existe a lei. Então, vamos tomar nova decisão daqui pra frente”.

Chama a atenção também a necessidade de reforma do prédio do hospital que apresenta infiltrações, pintura desgastada, entre outros problemas, inclusive com parte da mobília.

Atendimentos suspensos – O prefeito Júlio Florindo disse que já encaminhou comunicados aos Secretários de Saúde e prefeitos dos municípios que costumavam encaminhar pacientes para o Hospital de Barra do Bugres, informando que o atendimento está suspenso.

Descaso – O prefeito apontou ainda o que considera um descaso do Governo de Mato Grosso para com toda a região. “É a falta de comprometimento do Estado com a região do Médio Norte. Lembrando que todas as outras regiões, fora a nossa tem hospital regional e são bancadas pelo governo do estado. Quer dizer que a região do Médio Norte não tem importância para o Governo do Estado. Isso me deixa chateado e tenho certeza que muitos gestores da região ficam chateados também”.

Juina News

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta