Política

Deputado Claudinei solicita manter o funcionamento de agência do Banco do Brasil em Rondonópolis

Publicados

em


Deputado Delegado Claudinei enviou ofício para reverter decisão de banco

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Após a informação sobre o fechamento da agência do Banco do Brasil localizada na Rua Dom Pedro II, em Rondonópolis (MT), o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) encaminhou, de forma imediata, ofício ao superintendente da agência bancária de Mato Grosso, Oberti Finger, para reverter essa decisão. O parlamentar apontou os prejuízos a serem acarretados com o encerramento das atividades da unidade bancária e solicitou para que ela seja mantida para evitar transtornos aos usuários.

Essa ocorrência se deve ao Plano Nacional de Reestruturação da instituição financeira, que tem a previsão de realizar o fechamento de 242 postos de atendimentos, 112 agências bancárias, sete escritórios e 361 unidades de atendimentos em diferentes regiões do país. Sem contar a demissão de aproximadamente cinco mil servidores com a abertura do Plano de Demissão Voluntária (PDV).

“A nossa preocupação são os transtornos que vão causar aos correntistas desta agência de Rondonópolis. Não há dúvidas que ficarão indignados e terão prejuízos – principalmente para aqueles que moram na região central da cidade e, agora, terão que se deslocar para outra instituição – que na verdade são poucas – para atender as suas necessidades. Há menos de quatro anos, já passamos por isso, com o fechamento de uma unidade na Vila Operária. É preciso reavaliar essa situação”, posiciona Claudinei.

Leia Também:  Governo muda decreto e permite queimadas para agricultura fora da Amazônia

Situação – O avanço tecnológico devido ao uso da digitalização bancária e mudanças de comportamentos dos clientes foram um dos pontos para a adequação da instituição por meio do Plano Nacional de Reestruturação, que já segue a modernização do sistema financeiro e busca alcançar a redução de custos.

Para o consultor comercial Danilo Araujo Pacheco, a intervenção política nesta situação se faz necessária para evitar possíveis impactos no campo social e econômico do município. “O deputado Claudinei é daqui e sabemos que busca contribuir da melhor forma para sanar os problemas da cidade. Por ele já ter tomado a iniciativa de entrar em contato com a superintendência do Banco do Brasil, acaba nos representando e nos tranquilizando. Esperamos que tudo isso se resolva”, diz.

Segundo Pacheco, além desta agência que está prevista para ser fechada em menos de 60 dias, só restarão duas que ficam situadas na avenida Cuiabá, em frente à Praça Brasil, e a da avenida Lions Internacional, que só atende pessoas jurídicas. “Isso vai virar uma confusão aqui para a gente, vão ser muitas pessoas que perderão o emprego e não vão aceitar mudar de cidade. Se a gente ficar só da avenida Cuiabá, vai ficar todo mundo aglomerado. E os concursados? Como vão conseguir se enquadrar só naquela agência. Rondonópolis está precisando de mais agências e não de fechá-las, pois o município está crescendo muito. Temos que tentar converter isso”, preocupa Danilo.

Leia Também:  Manifestantes protestam contra Temer e pedem 'Diretas Já' na capital

O Banco do Brasil é uma instituição financeira com sociedade de economia mista, de participação do governo federal em 50% das ações em bolsa. Atualmente, o município de Rondonópolis conta com cerca de 250 mil habitantes e fica cerca de 210 km de distância da capital Cuiabá.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Cidades

Diamantino recebe apoio da Polícia Militar para implantação de equoterapia

Publicados

em

O prefeito de Diamantino, Manoel Loureiro Neto (MDB), esteve na terça-feira (23.02) em Nova Mutum para visitar as instalações do CBM e da 14º CR PMMT, acompanhado do vice-prefeito Jozenil da Costa Lube ‘Bodão’ e dos vereadores Eraldes Campos, Michele Carrasco, Arnildo Neto, Adriano Correa e do presidente da Câmara, Ranielli Patrick.

A comitiva diamantinense conheceu o funcionamento da Escola Tiradentes, Cavalaria e Comando Regional. Guiados pelo comandante Cel. Fernando presenciaram os benefícios da equoterapia. Na ocasião, o prefeito pleiteou auxilio técnico para Diamantino também oportunizar os serviços à população e prontamente recebeu apoio da Polícia Militar para conseguir implantar o projeto no município.

A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais.

A atividade emprega o cavalo como agente promotor de ganhos a nível físico e psíquico exigindo a participação do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da força muscular, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio.

Leia Também:  Manifestantes protestam contra Temer e pedem 'Diretas Já' na capital

“Desejamos muito em breve conseguir oferecer esse serviço tão benéfico também em Diamantino. Uma atividade terapêutica completa que envolve toda reabilitação física e mental. Age na mobilização pélvica, coluna lombar e articulações do quadril. Melhora do equilíbrio e da postura, desenvolve a coordenação de movimentos entre tronco, membros e visão, além de estimular a sensibilidade tátil, visual, auditiva, olfativa, melhorando a integração sensorial e motora”, destacou o prefeito.

A Lei 13.830, de 2019, que regulamenta a equoterapia como método de reabilitação de pessoas com deficiência, foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro. A legislação determina que a prática de reabilitação — que utiliza o cavalo em abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação voltada ao desenvolvimento biopsicossocial da pessoa com deficiência — será exercida por uma equipe multiprofissional.

O prefeito ressaltou que o Governo Municipal de Diamantino não medirá esforços para que o município tenha na equoterapia uma importante aliada para reabilitação dos pacientes.

Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA