Política Nacional

Zenaide Maia lamenta descaso do governo com famílias brasileiras

Publicados

em

A senadora Zenaide Maia (PROS-RN) afirmou que os últimos acontecimentos demonstraram que não é verdadeira a ideia de que o governo do presidente Jair Bolsonaro é defensor da ética e da família.

Em relação à família, continuou ela, em pronunciamento nesta quinta-feira (30), o descaso do governo fica comprovado com números: 30 milhões de brasileiros passam fome. Segundo Zenaide, 40% da população das regiões Norte e Nordeste está nessa situação, sendo que 74% são negros.

A senadora citou ainda que 39 milhões de brasileiros estão na informalidade, iludidos com a tentativa do governo de tratá-los como microempreendedores individuais só porque vendem comida em mesas instaladas pelas ruas das cidades brasileiras.

Para piorar todo esse cenário, disse Zenaide, o país enfrenta uma inflação galopante e o ministro da Economia, Paulo Guedes, no lugar de apresentar qualquer projeto para gerar emprego e melhorar a renda das pessoas, prefere acreditar na ideia de que as forças de mercado vão corrigir todos esses problemas.

— Quem defende família, defende um teto. Retirando os dinheiros da educação? Quem defende família, defende uma educação pública de qualidade para essa família. Retirada dos recursos da saúde, do SUS (Sistema Único de Saúde)? Quem defende família, defende saúde para a família, para eles não verem seus familiares morrerem de mortes evitáveis, por falta de recursos do SUS — disse.

Leia Também:  Volta à Câmara projeto sobre crianças e adolescentes desaparecidos

Segundo ela, diante desse cenário, não restou ao Senado outra saída, que não a de aprovar a PEC 01/2022, que amplia o valor do auxílio-Brasil e do vale-gás e que cria um benefício temporário para que caminhoneiros e taxistas cubram despesas com combustível.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Agência Senado

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Nacional

Prazo para pedir voto em trânsito termina nesta quinta-feira (18)

Publicados

em

Prazo para solicitar habilitação de voto em trânsito termina nesta quinta-feira (18)
Geraldo Magela/Agência Senado

Prazo para solicitar habilitação de voto em trânsito termina nesta quinta-feira (18)

Termina nesta quinta-feira (18) o prazo para os eleitores que não estiverem no seu domicílio eleitoral no dia da votação, no primeiro turno, em 2 de outubro; e, em caso de segundo turno, no dia 30 de outubro, solicitarem o voto em trânsito .

O requerimento para votar em trânsito precisa ser feito presencialmente, em qualquer cartório eleitoral, sem necessidade de agendamento. É possível solicitar o voto em trânsito para o primeiro, o segundo ou ambos os turnos.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em trânsito vale apenas para o cargo de presidente da República, quando a eleitora ou eleitor indicar uma cidade localizada em outra unidade da Federação diferente da do município do seu domicílio eleitoral.

“Podem votar nos cargos de deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente da República apenas eleitoras e eleitores que indicarem para o voto em trânsito um município que esteja localizado na mesma unidade da Federação do seu domicílio eleitoral”, diz ainda o TSE.

Leia Também:  Comissão aprova projeto que permite cassar carteira de motorista por crime contra a mulher ocorrido no trânsito

O pedido para votar em trânsito só pode ser feito para as capitais e cidades com eleitorado igual ou superior a 100 mil pessoas. É possível consultar os locais habilitados a receber o voto em trânsito no site do TSE. Não é possível indicar municípios em outros países para o voto em trânsito.

Eleitores com o título de eleitor cadastrado no exterior, poderão votar em trânsito se estiverem em viagem ao Brasil. Para isso, devem indicar o município onde estarão no dia da votação. Nesses casos, só poderão votar exclusivamente em candidatas e candidatos a presidente da República.

“O voto em trânsito funciona como uma transferência temporária de domicílio eleitoral. A habilitação para votar em trânsito não transfere ou altera quaisquer dados da inscrição eleitoral. Após as eleições, a vinculação do eleitor com a seção de origem é restabelecida automaticamente”, informa o TSE.

Leia Também:  Volta à Câmara projeto sobre crianças e adolescentes desaparecidos

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA