Política Nacional

Bolsonaro se irrita com Eduardo Paes por 7 de Setembro

Publicados

em

Bolsonaro não gostou da posição de Eduardo Paes
Reprodução

Bolsonaro não gostou da posição de Eduardo Paes

O presidente Jair Bolsonaro (PL) reclamou com seus aliados da decisão do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), de manter o desfile de 7 de Setembro no centro ao invés de mudar para a praia de Copacabana . O chefe do executivo federal seguirá articulando para que o evento seja alterado.

Em conversas com sua equipe, o mandatário demonstrou insatisfação com Paes. Na opinião dele, o prefeito apenas quer contrariá-lo para beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Nas eleições de 2018, o prefeito disputava o cargo de governador fluminense e não quis associar sua imagem ao de Bolsonaro, diferentemente do que fez Wilson Witzel, vencedor da disputa.

Durante a pandemia, Paes trabalhou para que os cariocas seguissem as recomendações da ciência, enquanto o presidente da República defendeu medicamentos ineficazes contra a Covid-19, além de ser contrário ao isolamento social.

Diante de toda essa rivalidade, Bolsonaro avisou que continuará trabalhando para que o desfile aconteça na praia de Copacabana. Em motociata feita em Recife, neste sábado (6), ele convocou apoiadores para participar de um ato no dia da Independência no local, ignorando a fala de Eduardo.

Leia Também:  Ministra Rosa Weber segue manifestação da PGR e arquiva petição contra Bolsonaro sobre vacinação infantil

O prefeito carioca usou seu no Twitter para explicar o motivo que o fez manter o evento na Avenida Atlântica. “O evento será organizado onde o Exército solicitou e onde sempre foi feito, na Presidente Vargas”, escreveu. A prefeitura é responsável por preparar a estrutura técnica do ato.

Bolsonaro quer usar o ato de maneira política, já que estará faltando um mês para as eleições. Atualmente, ele está atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas pesquisas de intenção de voto.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Nacional

Prazo para pedir voto em trânsito termina nesta quinta-feira (18)

Publicados

em

Prazo para solicitar habilitação de voto em trânsito termina nesta quinta-feira (18)
Geraldo Magela/Agência Senado

Prazo para solicitar habilitação de voto em trânsito termina nesta quinta-feira (18)

Termina nesta quinta-feira (18) o prazo para os eleitores que não estiverem no seu domicílio eleitoral no dia da votação, no primeiro turno, em 2 de outubro; e, em caso de segundo turno, no dia 30 de outubro, solicitarem o voto em trânsito .

O requerimento para votar em trânsito precisa ser feito presencialmente, em qualquer cartório eleitoral, sem necessidade de agendamento. É possível solicitar o voto em trânsito para o primeiro, o segundo ou ambos os turnos.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em trânsito vale apenas para o cargo de presidente da República, quando a eleitora ou eleitor indicar uma cidade localizada em outra unidade da Federação diferente da do município do seu domicílio eleitoral.

“Podem votar nos cargos de deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente da República apenas eleitoras e eleitores que indicarem para o voto em trânsito um município que esteja localizado na mesma unidade da Federação do seu domicílio eleitoral”, diz ainda o TSE.

Leia Também:  Pedido de investigação de Bolsonaro contra Moraes é negado por Toffoli

O pedido para votar em trânsito só pode ser feito para as capitais e cidades com eleitorado igual ou superior a 100 mil pessoas. É possível consultar os locais habilitados a receber o voto em trânsito no site do TSE. Não é possível indicar municípios em outros países para o voto em trânsito.

Eleitores com o título de eleitor cadastrado no exterior, poderão votar em trânsito se estiverem em viagem ao Brasil. Para isso, devem indicar o município onde estarão no dia da votação. Nesses casos, só poderão votar exclusivamente em candidatas e candidatos a presidente da República.

“O voto em trânsito funciona como uma transferência temporária de domicílio eleitoral. A habilitação para votar em trânsito não transfere ou altera quaisquer dados da inscrição eleitoral. Após as eleições, a vinculação do eleitor com a seção de origem é restabelecida automaticamente”, informa o TSE.

Leia Também:  Aécio desiste da disputa ao Senado para tentar reeleição na Câmara

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA