Polícia

Polícia Civil instaura investigação preliminar para apurar irregularidades na vacinação contra o covid-19 em Cuiabá

Publicados

em


Camila Molina/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada do Consumidor (Decon), instaurou nesta segunda-feira (12.04) Auto de Investigação Preliminar (AIP) para apurar possíveis irregularidades denunciadas em relação ao cumprimento da ordem de vacinação contra o covid-19 dentro dos critérios estabelecidos pela Prefeitura Municipal de Cuiabá. 

A investigação preliminar instaurada pela Decon tem o objetivo de apurar possíveis situações de “fura-fila”, assim como outras circunstâncias ilegais que possam ocorrer durante o período de vacinação. 

A decisão de abertura de investigação preliminar levou em consideração a publicação de diversas matérias em veículos de comunicação sobre possíveis falhas e irregularidades na execução dos serviços de vacinação. 

A Delegacia do Consumidor oficiará o Tribunal de Contas do Estado (TCE), o Ministério Público Estadual (MPE) e a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá solicitando que qualquer irregularidade ou ilegalidade de natureza criminal que seja detectada em relação a vacinação contra o covid-19 ou outros problemas do mesmo teor, sejam informadas à Decon para as providências cabíveis. 

O delegado da Decon, Rogério Ferreira, ressaltou que condutas reprováveis nos critérios de prioridade na imunização estabelecidos pelos governos e entidades médicas podem acarretar a responsabilização criminal de agentes públicos e das pessoas indevidamente vacinadas, 

Leia Também:  Tecnologia e novas estruturas são focos de reunião gerencial na Regional de Rondonópolis

“As pessoas identificadas nesse tipo de conduta podem ser enquadradas em crimes como o previsto no artigo 268 do Código Penal, por infringir determinação do poder público destinada a impedir a propagação de doença contagiosa, ou ainda outros tipos penais penais como corrupção ativa, corrupção passiva e prevaricação”, disse o delegado.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Polícia Civil prende autor de furto de R$ 1,6 mil de dentro de bolsa de cliente em supermercado atacadista

Publicados

em


Assessoria/Polícia Civil-MT

O furto de uma expressiva quantia de dinheiro de dentro da bolsa de cliente em um supermercado atacadista foi esclarecido pela Polícia Civil, no sábado (08.05), logo após a vítima procurar a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG). Um funcionário terceirizado foi identificado como autor do crime e foi autuado em flagrante pelo furto.

As investigações iniciaram quando a vítima de 63 anos procurou a Derf-VG o furto de mais de R$ 1,6 mil de dentro de sua bolsa, ocorrido dentro do atacadista. Segundo a comunicante, ela estava no supermercado, quando retirou a bolsa do carrinho para organizar as compras e deixou em cima de um palet.

A bolsa foi devolvida no setor de perdidos e achados do supermercado, porém a quantia em dinheiro havia desaparecido. Com base nas informações, os policiais da Derf-VG foram até o atacadista, onde em análise das câmeras de segurança foi possível identificar o autor do furto como sendo um funcionários terceirizado que triabalha na empresa.

Leia Também:  Corpo de homem é encontrado próximo a ponte em Mato Grosso

Nas imagens, ele aparece pegando a bolsa, ficando com ela por algum tempo, até que o corredor ficasse vazio, momento em que retirou algo de dentro dela e escondeu no bolso da roupa que usava. O próprio funcionário após cometer o furto devolveu a bolsa no setor de perdidos e achados do supermercado.

Diante das evidências, os policiais da Derf-VG realizaram diligências em busca do suspeito que foi preso em flagrante em posse de R$ 1.642 furtados da bolsa da vítima. O suspeito foi conduzido à delegacia, onde após ser interrogado pela delegada, Elaine Fernandes de Souza, foi autuado em flagrante pelo furto.

“A vítima agradeceu a equipe policial, afirmando que não poderia perder o dinheiro que havia acabado de sacar para efetuar o pagamento semanal dos seus funcionários, assim como outras contas do seu comércio”, disse a delegada.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA