Polícia

Polícia Civil e PRF apreendem 3,1 toneladas de defensivos contrabandeados em Rondonópolis

Publicados

em

 

Assessoria/Polícia Civil-MT

Mais de três toneladas de defensivos agrícolas contrabandeados do Paraguai, avaliadas em mais de R$ 3 milhões, foram apreendidas em uma ação conjunta da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, realizada na madrugada desta terça-feira (19.10), em Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá).

Duas pessoas responsáveis pelo transporte da carga de defensivos foram autuadas em flagrante pelos crimes de contrabando e transporte irregular de agrotóxico. A ação contou com o apoio e suporte da Delegacia Regional de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá).

Durante a operação realizada em parceria com a PRF, os policiais da GCCO receberam informações sobre dois caminhões que estavam vindo do estado de Mato Grosso do Sul, carregados com defensivos contrabandeados do Paraguai.

Com base nas informações, as equipes começaram o monitoramento dos veículos, assim que entraram em Mato Grosso, flagrando o momento que os dois caminhões chegaram à Rondonópolis, e pararam em um posto de combustível.

Leia Também:  Casos de estupros crescem 24% em MT nos 6 primeiros meses de 2016

Os policiais da GCCO ficaram posicionados na MT-130, pois esses seria um dos caminhos por onde seguiriam a viagem. Em determinado momento no posto combustível, uma caminhonete F-4000 encostou próximo a um dos caminhões, e iniciou o descarregamento de sacos brancos do caminhão para a caminhonete.

Após a transferência da carga, a caminhonete que seguiu sentido à MT -30, onde foi realizada a abordagem do veículo.

Questionado, o motorista alegou que estava transportando uma carga de adubo, porém durante a análise da carga, foi constatado que o suspeito estava transportando 124 sacos de defensivos agrícolas (Benzoato), totalizando aproximadamente 3,1 mil quilos de agrotóxicos.

Diante das fatos, o suspeito confessou que foi contratado para fazer o transporte da carga para Nova Mutum e que receberia R$ 2 mil pelo serviço.

Em continuidade às diligências, os policiais realizaram a abordagem dos caminhões que fizeram o transbordo da carga durante o dia. Após a identificação do motorista, foi constatado que ele foi preso por envolvimento no mesmo crime no dia 30 setembro deste ano. O motorista do segundo caminhão não foi localizado.

Leia Também:  Covid-19: por que abril será o mês de virada na vacinação brasileira

Diante das evidências, os veículos e a carga de 124 sacos de agrotóxicos foram apreendidos e os suspeitos conduzidos à 1ª Delegacia de Polícia de Rondonópolis, onde foram autuados pelos crimes de contrabando e produzir, comercializar, transportar, dar destinação a resíduos e embalagens vazias de agrotóxicos seus componentes em afins em desacordo com a legislação.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Nota de esclarecimento – Diretoria da Polícia Civil 

Publicados

em


Em relação à entrevista concedida à Televisão Centro América, nesta terça-feira (30.11), pelo delegado titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Cuiabá, a Polícia Civil reitera que as declarações do profissional não refletem a opinião e posicionamento desta instituição em relação ao Poder Judiciário e seus integrantes.

A Polícia Civil reafirma a relação institucional harmônica com o Judiciário mato-grossense, com quem vem desenvolvendo diversos projetos, a exemplo, do SOS Mulher e Botão do Pânico de atendimento a vítimas de violência doméstica, que se tornaram mais uma ferramenta para o acolhimento e proteção às mulheres de Mato Grosso.

A Diretoria da Polícia Civil destaca a contribuição do Judiciário no fortalecimento da instituição policial, a fim de que os serviços essenciais de investigação criminal possam ser continuamente prestados com a melhor qualidade à sociedade mato-grossense.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Turismo de Diamantino é inexplorado, afirma turismóloga Jaqueline em Deciolândia
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA