Polícia

Cuiabá tem mais de 600 casos de pessoas desaparecidas neste ano, diz polícia

Publicados

em

Foram registrados 612 desaparecimentos somente de janeiro a setembro deste ano, em Cuiabá, segundo o Núcleo de Desaparecidos da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Desses, 56 casos ainda não tiveram solução.

Tatiane dos Santos Rodrigues Bueno contou que o marido, Wellington Bueno Carvalho, de 36 anos, está desaparecido há mais de seis meses e até agora não há informações sobre o paradeiro dele.

“Fico angustiada, porque a dor do desaparecimento é pior do que descobrir que está morto”, disse.

A última informação que a família teve é que ele foi deixado próximo da casa onde mora, em Cuiabá, após voltar de uma viagem a trabalho, em Nobres, a 151 km da capital.

“Conversei com ele o dia todo. Ele disse que chegaria tarde e que no outro dia cedo trabalharia, mas ele não chegou naquele dia”, contou.

Wellington tem dois filhos pequenos e, segundo Tatiane, as crianças estão sofrendo com a falta do pai.

Outro caso que ainda não teve resposta é o de Caio Padilha Lemes, de 25 anos. Ele está desaparecido há sete meses. Segundo a família, o jovem saiu de casa para trabalhar e não voltou mais.

Leia Também:  Polícia Civil identifica e prende autor de homicídio em Pontes e Lacerda

“Ele saiu para passear e não chegou, mas no outro dia cedo fiquei sabendo que ele foi trabalhar normalmente. Depois disso, não tive mais notícias”, disse a mãe de Caio, Geci Padilha.

As duas famílias registraram boletim de ocorrência na DHPP. O delegado que investiga os desaparecimentos, Olímpio da Cunha Fernandes Júnior, reforçou que as investigações estão em andamento.

Ele afirmou que 90% dos casos são esclarecidos, mas ainda falta mais estrutura para o Núcleo.

“Não temos um delegado específico para o núcleo. Atualmente, estou acumulando as funções de investigações da delegacia. Temos poucos investigadores e poucos escrivães”

Atualmente, apenas dois investigadores e uma escrivã trabalham no núcleo de desaparecidos da delegacia.

Sobre a falta de estrutura do núcleo, a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) disse que reconhece o deficit de delegados e servidores nas unidades e que a situação está sendo monitorada, mas que a prioridade no momento é restabelecer o equilíbrio fiscal e, por isso, não há previsão orçamentária para novos concursos.

Leia Também:  Após mensagem de socorro, Polícia Civil resgata mãe e gêmeos de 1 ano de cárcere privado e agressões em MT

G1

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Polícia

Mulher é presa em flagrante por receptação; com ela foi encontrado carro roubado em Goiás

Publicados

em


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

Uma mulher de 33 anos foi presa em flagrante pela Polícia Civil, na tarde desta segunda-feira (12) em Rondonópolis, pelo crime de receptação.  A equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Rondonópolis identificou um endereço no Residencial Magnólia, onde possivelmente estaria escondido um veículo modelo sedan roubado em dezembro do ano passado, na cidade de Santa Rita do Araguaia (GO).

Na residência monitorada mora M.C.G.P., 33 anos, esposa de um presidiário recluso na Penitenciária de Rondonópolis.

Com as informações coletadas, os investigadores da DERF foram ao endereço e confirmaram que o caro de fato era o veículo roubado, um modelo GM Cruze, conforme número do chassi, porém, a placa afixada no carro era de um veículo com número de chassi divergente.  

Questionada sobre o veículo, a mulher informou aos policiais que teria guardado o carro a pedido de uma familiar. Ela disse ainda que o veículo estava circulando normalmente e alegou que não tinha conhecimento de que era produto de crime.

Leia Também:  Mulher desaparece, marido diz à família que ela viajou e vítima é encontrada morta em MT

No interior da casa, os policiais apreenderam um caderno com anotações de valores vultosos recebidos de membros de uma organização criminosa. Indagada sobre as anotações, ela disse incialmente desconhecer o que eram os números e depois alegou se tratar de empréstimos que havia tomado com agiotas.

Ela foi detida e encaminhada à sede da DERF, onde foi autuada em flagrante pelo delegado Santiago Rozendo Sanches.

O delegado informou que a suspeita já tem passagem criminal, com uma condenação por tráfico pela Comarca de Ponta Porã (MS). Ele encaminhou representação ao Poder Judiciário pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva.

Após os procedimentos policiais, a mulher foi encaminhada para a unidade prisional feminina de Rondonópolis.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA