Nacional

SP investiga parada cardíaca em menina após receber vacina anticovid

Publicados

em


source
SP vacina primeira criança do país
Reprodução

SP vacina primeira criança do país

Membros da Secretaria Estadual de Saúde (SES) de São Paulo se reunirão nesta quinta-feira (20/1) para debater o caso da menina de 10 anos de Lençóis Paulista, no interior do estado, que teve uma parada cardiorrespiratória 12 horas após tomar a vacina contra a covid-19 da Pfizer.

A cidade suspendeu a vacinação de crianças por sete dias para apurar o ocorrido, porque ainda não se sabe se o incidente teve relação com o imunizante.

A reunião da SES contará com médicos especialistas internos e externos. O secretário Jean Gorinchteyn não estará presente. Em nota divulgada na noite da última quarta (19/1), a Secretaria Estadual da Saúde destacou que “todas as vacinas aprovadas pela Anvisa são seguras e eficazes, impactando diretamente na redução de casos graves e internações por Covid-19”.

“O Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) esta acompanhando e analisará o caso de Lençóis Paulista. O CVE informa que todos os casos de eventos adversos são analisados por uma comissão de especialistas antes de qualquer confirmação. É, portanto, precipitado e irresponsável afirmar que o caso do município está associado à vacinação. Na maioria das vezes, os casos de eventos adversos pós-vacinação são coincidentes, sem qualquer relação causal com o imunizante”, declarou a pasta.

Leia Também:  Síndica reclama de fantasia de carnaval de moradora: 'desconcertante'

A Pfizer, também se pronunciou acerca do caso em nota.

Leia a nota da Pfizer na íntegra:

Assim que a Pfizer teve conhecimento do caso, foi submetido um relato de potencial evento adverso para a área de farmacovigilância, conforme processo global da companhia.

Leia Também

A Pfizer já distribuiu globalmente mais de 2.6 bilhões de doses da vacina ComiRNAty em mais de 166 países ao redor do mundo e não há alertas de segurança graves relacionados ao imunizante.

Os eventos adversos que podem ser relacionados à vacina identificados durante as fases de estudo pré e pós comercialização constam na bula do produto https://www.pfizer.com.br/bulas/comirnaty. Os órgãos de vigilância locais e internacionais competentes endossam que o benefício da vacinação segue se sobrepondo a qualquer risco.

A companhia realiza habitualmente o acompanhamento de relatos de potenciais eventos adversos de seus produtos, mantendo sempre informadas as autoridades sanitárias brasileiras, de acordo com a regulamentação vigente.

Especificamente para a vacina ComiRNAty, a fim de facilitar ainda mais o contato com a empresa e o monitoramento dos potenciais eventos adversos da vacina, a Pfizer estabeleceu um portal para comunicação de informações relacionadas a relatos de eventos adversos: https://www.pfizersafetyreporting.com/#/pt .

Pacientes que apresentem qualquer quadro de potencial evento adverso devem manter acompanhamento médico ou com serviço de saúde de referência e seguir as condutas clínicas instituídas e orientadas por tais responsáveis. Os profissionais de saúde, incluindo os médicos, podem acessar os canais de comunicação da Pfizer para obter informações técnicas ou ter acesso a literatura médica especializada.

O imunizante demonstrou eficácia de 90,7% em estudo clínico desenvolvido especificamente para a faixa etária pediátrica (5 a 11 anos). Os ensaios de Fase 2/3 foram realizados em 2.268 crianças, nos Estados Unidos, Finlândia, Polônia e Espanha, e apresentaram respostas robustas na produção de anticorpos além de perfil de segurança favorável.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Nacional

Blocos de rua em abril seriam inviáveis, diz secretário de Saúde do RJ

Publicados

em


source
Blocos de rua não devem desfilar em abril
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil – 11.02.2018

Blocos de rua não devem desfilar em abril

O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, afirmou, em entrevista ao Dia neste sábado (12), que não seria viável a realização de blocos de rua em abril, quando acontecerão os desfiles das escolas de samba no sambódromo da Marquês de Sapucaí e na Intendente Magalhães, adiados em fevereiro por conta do aumento de casos da Covid-19.

Apesar da única medida restritiva em vigor atualmente na cidade do Rio ser o comprovante de vacinação para entrar em ambientes de uso coletivo,  desde que a utilização de máscaras deixou de ser obrigatória também em locais fechadas, na última segunda-feira (7), o secretário falou que a organização para o desfile dos blocos depende de uma infraestrutura que demanda mais tempo para ser organizada.

“Os blocos de rua são uma situação muito mais complexa que só a pandemia. Tem que organizar toda a rede de saúde para poder ter o cuidado aos blocos de rua. Tem Comlurb, tem patrocinadores, tem várias situações que precisam ser vistas. Acho que não é viável fazer o bloco de rua por conta da infraestrutura, da organização, que leva muito tempo. Mas, isso não é a Secretaria de Saúde que decide”, explicou o secretário.

Leia Também:  Polícia pede mais prazo para apurar acidente que matou 10 em Capitólio

Em entrevista ao Dia na última quarta-feira (9), a Banda de Ipanema, blocos da Sebastiana e outras ligas já haviam sinalizado que não participarão do Carnaval em abril, por conta da dificuldade da realização dos desfiles. Os representantes destacaram que não há estrutura adequada e preparada no município para receber cerca de 500 blocos. Antes da pandemia, eram necessários de 45 a 60 dias de preparação, contando com auxílio do poder público na organização da cidade.

Com o cenário epidemiológico seguro, diferente dos blocos de rua, entre os dias 20 de e 1º de maio, serão realizados os desfiles das escolas de samba. Neste sábado, o Sambódromo volta a receber as escolas de samba. Para dar início aos trabalhos, três escolas da Série Ouro realizam seus ensaios técnicos: Em Cima da Hora, Império Serrano e Lins Imperial. Nesta ordem, as agremiações começam seus treinos às 19h, tendo duração de uma hora para cada. No domingo (13), é a vez do Grupo Especial, com Imperatriz, São Clemente e Portela realizando seus ensaios técnicos na Sapucaí.

Leia Também:  Biblioteca falsa de desembargador cai durante sessão online

Leia Também

Calendário da RioTur com as datas para o Carnaval 2022

Desfiles – Sambódromo

  • 20/04 (Quarta-feira) – Série Ouro – Liga RJ;
  • 21/04 (Quinta-feira) – Série Ouro – Liga RJ;
  • 22/04 (Sexta-feira) – Grupo Especial – Liesa;
  • 23/04 (Sábado) – Grupo Especial – Liesa;
  • 24/04 (Domingo) – Desfile das Crianças – Aesm-Rio;
  • 26/04 (Terça-feira) – Apuração;
  • 30/04 (Sábado) – Campeãs – Liesa.

Desfiles – Intendente Magalhães

  • 20/04 (Quarta-feira) – Federação de Blocos;
  • 21/04 (Quinta-feira) – Grupo de Avaliação – Superliga;
  • 22/04 (Sexta-feira) – Grupo Bronze – Superliga;
  • 29/04 (Sexta-feira) – Grupo Prata – Superliga;
  • 30/04 (Sábado) – Grupo Prata – Superliga;
  • 01/05 (Domingo) – Grupo B+C – Livres.

Dias de eventos no Terreirão do Samba (ainda não divulgados)

  • 20/04 (Quarta-feira);
  • 21/04 (Quinta-feira);
  • 22/04 (Sexta-feira);
  • 23/04 (Sábado);
  • 30/04 (Sábado).

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA