Mundo

Importação de armas de fogo é proibida no Canadá

Publicados

em

Arma de fogo
Pixabay

Arma de fogo

O Canadá anunciou nesta sexta-feira que proibirá a importação de armas de fogo, em uma tentativa de conter os ataques a tiros no país. A medida passa a valer daqui a duas semanas e tem caráter temporário, mas durará até que uma lei seja aprovada no Parlamento e entre em vigor permanentemente, disseram as autoridades.

“Tenho orgulho de anunciar que nosso governo decidiu proibir a importação de armas de fogo”, anunciou Marco Mendicino, ministro da Segurança Pública, em entrevista coletiva.

É uma “proibição temporária” que se aplicará a partir de 19 de agosto a indivíduos e empresas e “até a entrada em vigor de um congelamento nacional”, especifica um comunicado de imprensa do governo canadense.

Seu objetivo é acelerar a aplicação de algumas medidas previstas no Projeto de Lei C-21, apresentado em maio pelo primeiro-ministro Justin Trudeau, mas que ainda está tramitando no Parlamento, disse Mendicino. A legislação visa o controle de armas e inclui o congelamento nacional na importação, compra, venda e transferências de armas de fogo.

Leia Também:  Guerra: Canadá anuncia novo apoio militar à Ucrânia

“Quando anunciamos o Projeto de Lei C-21 e o congelamento nacional de armas, dissemos que usaríamos todas as ferramentas disponíveis para manter os canadenses seguros”, escreveu o minsitro, no Twitter. “Hoje, estamos anunciando uma proibição nacional da importação de armas curtas, antecipando o impacto final do congelamento em vigor.”

As leis que regulamentam a posse de armas no país já haviam ficado mais rígidas depois de um massacre que deixou 23 mortos na cidade costeira de Portapique, na Nova Escócia, em 2020. Foi o ataque com o maior número de vítimas no Canadá em 30 anos.

Na semana passada, três pessoas foram mortas em um ataque a tiros no centro da cidade de Langley, perto de Vancouver, no Oeste do país, incluindo o suposto atirador. Duas pessoas ficaram feridas, uma em estado crítico e a outra com ferimentos graves.

Segundo dados de 2021 do Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde (IHME) da Universidade de Washington, a taxa de homicídios por arma de fogo no Canadá é de 0,5 por 100 mil pessoas, contra a taxa dos EUA, que está em 4,12.

Leia Também:  Armas e dívida pública

Dados comerciais de Ottawa, citados pela rede de televisão CTV, também mostram que o país importou US$ 26,4 milhões em pistolas e revólveres entre janeiro e junho — um aumento de 52% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Estima-se também que mais de um milhão de revólveres estejam em circulação no país, de acordo com o jornal La Presse. Na última década, cerca de 55 mil dessas armas foram registradas a cada ano, em média, sem incluir armas importadas e vendidas ilegalmente.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Iraniano é processado por planejar assassinato de ex-assessor de Trump

Publicados

em

Iraniano ofereceu US$ 300 mil para quem assassinasse Bolton
Divulgação/Official White House/Shealah Craighead

Iraniano ofereceu US$ 300 mil para quem assassinasse Bolton

Os Estados Unidos abriram um processo formal contra o iraniano Shahram Poursafi, um dos chefes da Guarda Revolucionária, por planejar matar o ex-assessor de Segurança Nacional do então presidente Donald Trump , John Bolton, informou o Departamento da Justiça nesta quarta-feira (10).

A ação seria uma resposta ao assassinato, em janeiro de 2020, do general Qassem Soleimani, um dos homens mais poderosos do Irã e que guiava a Força Al Quds, unidade especial da Guarda.

Poursafi, também conhecido como Mehdi Rezayi, tem 45 anos, e ofereceu uma recompensa de US$ 300 mil para quem assassinasse Bolton em Washington ou Maryland. O paradeiro do iraniano, porém, é desconhecido.

Conforme o Departamento de Justiça, o crime deveria ter ocorrido em outubro de 2021.

O iraniano teria primeiro solicitado fotos da rotina de Bolton nas duas cidades e depois contatado uma pessoa não identificada nos EUA para achar um mercenário que cometesse o crime. Além disso, em uma das conversas obtidas nas investigações, Poursafi teria dito a esse intermediário que pagaria ainda US$ 1 milhão para um “trabalho adicional”.

Leia Também:  Operação Triênio encerra com apreensões de 18kg de entorpecentes e 19 armas

O Departamento de Justiça, no entanto, não informou quem seria a segunda pessoa e que o nome está em uma investigação confidencial do FBI. Conforme fontes da Inteligência, essa pessoa seria o ex-secretário de Estado Mike Pompeo.

O possível assassino teria solicitado uma antecipação de parte do valor, mas só recebeu US$ 100, em criptomoedas, em abril deste ano. Por isso, Poursafi responderá por planejar um assassinato (pena de até 10 anos) e por fornecer material para um complô de assassinato internacional (15 anos de detenção).

“Essa não é a primeira vez que descobrimos um complô do Irã para vingar-se em solo norte-americano. Continuaremos a trabalhar incessantemente para expor e tentar parar essas tentativas”, disse o vice-procurador-geral Matthew Olsen.

Já o conselheiro para Segurança Nacional, Jake Sullivan, afirmou que o governo de Joe Biden “vai proteger todos os norte-americanos das ameaças de violência e de terrorismo”. “Se o Irã atacar qualquer um de nossos cidadãos, ele enfrentará graves consequências”, acrescentou.

Leia Também:  PF combate fraudes na compra e registro de armas no estado do Rio

Bolton é considerado um dos mais importantes expoentes entre os republicanos e era um dos principais opositores ao acordo nuclear assinado com o Irã em 2015 – do qual Trump tirou os EUA em 2018. Mas, além de atuar com o ex-presidente, Bolton teve passagens pelo Departamento de Justiça e de Estado, além de ter cargos de alto nível em todos os governos republicanos desde a década de 1980.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA