GERAL

Redmi Note 7S entra em combustão e Xiaomi dá resposta inesperada

Publicados

em

Parece que voltamos para 2016 e um dispositivo com Note 7 no nome voltou a protagonizar manchetes em que entra em combustão. Desta vez, porém, o caso não está ligado à Samsung: um cliente da Xiaomi disse que seu smartphone Redmi Note 7S começou a pegar fogo inesperadamente. A vítima, o indiano Chavhan Ishwar, relatou a situação no Facebook e contou que recebeu uma resposta inesperada da fabricante do dispositivo.

De acordo com o consumidor, o produto foi comprado na loja Flipkart no dia 1° de outubro, mas o caso de combustão só aconteceu um mês depois, no dia 2 de novembro. “Enquanto eu estava no meu trabalho com o celular na mesa, um cheiro de queimado apareceu com fumaça”, explica Ishwar na rede social. “Descobri que a fumaça estava vindo do meu smartphone”.

Segundo mostram as imagens do aparelho queimado, o foco do incêndio possivelmente foi a bateria do dispositivo, mas o estrago foi tão grande que o usuário e até mesmo funcionários de um centro de manutenção da Xiaomi não conseguiram retirar o chip de telefonia de dentro da carcaça queimada. Segundo explica o cliente, a única forma de tentar contornar o problema foi enviar o Redmi Note 7S de volta para a fábrica da empresa chinesa.

Leia Também:  Concessionária prevê aumento no fluxo de carros na BR-163

Resposta inesperada

Após enviar o Redmi Note 7S para diagnóstico na fábrica da Xiaomi, Chavhan Ishwar recebeu uma resposta, no mínimo, inesperada. A empresa rejeitou o dispositivo por apresentar “marcas de queimadura anormais que danificaram a área para consertar a bateria”. Ou seja, a companhia disse que não pode arrumar o celular porque o dispositivo queimou de forma severa.

Após receber a resposta atravessada, o cliente entrou em contato novamente com a empresa e recebeu mais um retorno desagradável. Segundo Ishwar, um atendente da empresa disse por telefone que a “bateria não é coberta na garantia” do smartphone. “Se meu celular explodir/queimar por causa da bateria defeituosa após um mês de uso, eu sou responsável por isso?”, questiona o usuário no Facebook.

Até o momento, a Xiaomi não comentou o assunto, mas como esse é a primeira grande história de um Redmi Note 7S queimando desde o lançamento do aparelho em maio, tudo indica que o caso é isolado e os usuários do celular não precisam se preocupar.

Tecmundo

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

GERAL

Indea descarta nova doença da soja em MT

Publicados

em

Produtores rurais da região Médio Norte de Mato Grosso, especialmente dos municípios de Sorriso e Ipiranga do Norte, suspeitaram durante esta safra de soja de uma nova doença nas lavouras. De acordo com os relatos, a suposta doença ocasionava a abertura das vagens e apodrecimento dos grãos.

Fiscais engenheiros agrônomos do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea MT) foram a campo em fevereiro para verificar as informações e fazer análises comprobatórias. Nas amostras analisadas no laboratório de sanidade vegetal do Instituto, não foram encontrados resultados que indiquem que a anomalia seja ocasionada por fatores bióticos, ou seja, organismos vivos.

Foram detectados os fungos Colletotrichum truncatum, Phomopsis sojae, Fusarium semitectum nas vagens e nos grãos, além destes, o fungo Rhizoctonia solani. Porém, os microrganismos identificados tratam-se de patógenos endêmicos, ou seja, doenças comuns no cultivo das lavouras de soja no Estado como causadores das doenças de final de ciclo, não sendo provavelmente a causa principal da anomalia constatada pelos produtores.

Leia Também:  Não gosta de um artista? Em breve será possível bloqueá-lo no Spotify

O Indea MT continuará o trabalho de acompanhamento das análises realizadas pelas entidades de pesquisa, bem como o monitoramento das áreas de ocorrência.

 

 

 

fonte: folha max

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA