GERAL

Amazon Brasil expande e passa a vender e entregar produtos de 12 categorias

Publicados

em

A Amazon anunciou nesta terça (22) a sua maior expansão até o momento em território nacional e passa a vender e entregar produtos de 12 categorias distintas a partir de hoje. Para sustentar a ampliação das suas operações, a companhia inaugurou um centro de distribuição próprio com mais de 120 mil produtos na cidade de Cajamar, São Paulo.

As novidades incluem ainda quatro novas categorias inéditas na Amazon.com.br: Brinquedos, Bebês, Beleza e Cuidados Pessoais. Em comunicado, o Country Manager da Amazon Brasil Alex Szapiro destacou que o novo movimento vem para reforçar o compromisso da empresa em oferecer bons negócios a seus clientes.

“O anúncio de hoje representa mais um marco histórico para nós. Estamos muito felizes em aumentar a quantidade de categorias e produtos que oferecemos para nossos clientes, com o compromisso de continuar trazendo a melhor experiência de compra e ofertas, como temos feito desde o lançamento da nossa operação com livros no Brasil há seis anos”, comenta o executivo.

A Amazon chegou no Brasil em 2012 vendendo apenas livros digitais e Kindles, expandindo inicialmente para livros impressos em 2014. Em 2017, a empresa passou a vender produtos de 14 categorias diferentes por meio de parcerias em seu marketplace, além de produtos e serviços próprios, como o Amazon Fire TV Stick e o Amazon Prime Video.

Leia Também:  Prefeitura faz levantamento de famílias atingidas por enchentes após chuvas intensas em MT

Agora, a filial brasileira da Amazon tem um catálogo com mais de 20 milhões de produtos e continua oferecendo frete grátis para pedidos de livros e videogames a partir de R$ 99. Para todas as demais categorias, o frete é gratuito em compras a partir de R$ 149.

Tecmundo

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

GERAL

CONFIRA O BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DIAMANTINO (09/04/2021)

Publicados

em

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ataque a mesquitas na Nova Zelândia: Por que a primeira-ministra do país decidiu nunca pronunciar nome do atirador
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA