Home Polícia Ex de policial enviou áudio de despedida para sobrinha em MT

Ex de policial enviou áudio de despedida para sobrinha em MT

0

De acordo com as informações Daiane Tonetta Neitzke tirou a própria vida; 4 cápsulas são achadas em casa

A jovem Daiane Tonetta Neitzke, de 26 anos, que teria tirado a própria vida nesta segunda-feira (4), na casa do namorado policial civil no bairro Jardim Guanabara, em Cuiabá, enviou um áudio exatamente às 12h08 para a sobrinha momentos antes de efetuar o disparo. Na gravação, a mulher relata que amava a menina de cinco anos que é filha do seu irmão e sua afilhada.

Essa teria sido a sua última mensagem após ter tido um desentendimento com o seu namorado. “Meu amor, eu te amo tá? Tudo que aconteceu, a titia te ama muito. A titia te ama mais do que qualquer coisa na vida. Eu te amo tá”, disse em áudio divulgado divulgado pelo programa “Balança MT” (12.1).
Ouça
Durante a ocorrência, os policiais atenderam o chamado de que um homem teria feito a sua esposa de refém no bairro Jardim Guanabara. No entanto, após a chegada das guarnições militares, foi constatado de que a jovem teria tirado a própria vida.

De acordo com o tenente-coronel Guimarães, comandante do 1º Batalhão da PM, quando os policiais chegaram ao local já encontraram a mulher sem vida. “Não sabemos exatamente o momento do óbito. Assim que recebemos o chamado, tomamos as medidas necessárias, acionando todas as equipes possíveis, mas ao chegarmos ao local a jovem já se encontrava em óbito”, detalhou o tenente-coronel, explicando a presença de policiais do Bope, Rotam, e uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) no local.

Conforme as informações, Daiane teria utilizado uma arma de fogo que seria do policial civil. Ela era natural de Acorizal, porém morava na capital com o namorado.

O policial civil está lotado na Polinter. Conforme as informações preliminares, Daiane tinha um relacionamento conturbado e o policial não permitiria o contato da jovem com algumas pessoas.

Quando teria ocorrido o disparo que matou a mulher, o policial civil (dono da casa) encontrava-se do lado de fora do imóvel acompanhado de uma guarnição da Polícia Militar, acionada pelo próprio policial para atender a situação. Daiane teria entrado na casa e ido para a parte de cima da residência e se recusava a descer de um dos cômodos. O policial civil e os militares aguardavam a chegada do Bope para iniciar as negociações para ela aceitar sair do local.

Além da equipe plantonista da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHHPP), a Corregedoria da Polícia Civil também foi acionada para acompanhar o caso. A Polícia Civil encaminhou as quatro cápsulas encontradas na residência para perícia.

VELÓRIO

O velório de Daiane ocorrerá na cidade de Acorizal nesta terça-feira e durará cerca de 1 hora. Logo depois, o corpo seguirá para Tangará da Serra, onde será feito o sepultamento.

Folhamax

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta