DIAMANTINO

Esportes

Santos vence o Boca Juniors e final da Libertadores será entre brasileiros

Publicados

em


o ano de 2011, o Santos FC disputou a sua última final de Conmebol Libertadores até então, e conquistava o seu 3º título da competição mais importante das Américas. Dez anos depois, o Alvinegro de Vila Belmiro está novamente em uma final continental, e irá em busca do Tetracampeonato, para se tornar isoladamente, o time brasileiro com mais conquistas na Libertadores.

Na noite desta quarta-feira (13), o time santista venceu o Boca Juniors, tradicional equipe argentina, por 3 a 0, com certa facilidade. Diego Pituca marcou o primeiro na primeira etapa, e Soteldo e Lucas Braga completaram o marcador no segundo tempo.

O Santos FC vai disputar sua 5ª final de Conmebol Libertadores. Em 1962, 1963 e 2011, o Peixe ficou com a Taça mais cobiçada das Américas, e apenas em 2003, ficou com o vice-campeonato. O adversário do Peixe na grande final, no dia 30 de janeiro no Maracanã, será o Palmeiras.

Como no primeiro jogo, o Peixe atuou melhor que o Boca Juniors, e hoje, a brilhante atuação resultou nos três gols. Uma jornada inesquecível do time da Vila Belmiro. Dominou a equipe argentina durante os 90 minutos, e não deu em nenhum momento, a chance deles sonharem com a classificação. O sonho do Tetra foi mantido, e está mais vivo do que nunca!

O jogo
O Santos começou a partida pronto para marcar um gol. Pressionou desde o primeiro apito do árbitro, e logo a um minuto, já acertou a trave em chute forte de Marinho. No rebote, Diego Pituca mandou para fora.

  Fora de casa, Atlético-GO vence o Santos e sobe na tabela do Brasileirão

Leia Também:  Real Madrid acerta a venda de Kovacic ao Chelsea por R$ 197 milhões, diz imprensa europeia

Três minutos depois, novamente Marinho arrisca um chute de fora da área, dessa vez, em cobrança de falta, e o goleiro defende.

Aos 11 minutos, Soteldo cruza na primeira trave, e Kaio Jorge desvia de calcanhar e ninguém aparece para finalizar.

A pressão fez efeito aos 15. Soteldo na entrada da área chuta em cima da zaga argentina, e a bola sobra para Diego Pituca, que bate no canto sem chances para o arqueiro. É o primeiro gol do volante na competição, e o 8º com a camisa do Peixe.

Aos 18 minutos, Felipe Jonatan cruza na área e a bola passa com perigo próxima a trave.

E o Peixe não deu sossego para o Boca Juniors. Kaio Jorge aos 26 minutos puxou rápido contra-ataque, e por muito pouco não sai cara a cara com o goleiro. O atacante santista foi parado com falta.

Diego Pituca abriu o placar para o Peixe! (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Faltando dois minutos para o fim do tempo regulamentar, Marinho cobrou falta com extrema força, e obrigou o goleiro espalmar para longe. No ataque seguinte, Kaio Jorge bate colocado, a bola novamente passa muito perto.

A primeira etapa terminou com enorme superioridade do Peixe. Foram 11 chutes no total do Alvinegro, contra apenas um de seu adversário.

Os comandados de Cuca voltaram do intervalo e mantiveram a mesma pressão. Aos três minutos, Soteldo recebeu bola na entrada da área, e mostrando toda sua categoria, chutou no ângulo, sem chances para o goleiro, para marcar o segundo do Peixe na partida. O camisa 10 marcou seu 2º na Conmebol Libertadores, e o 18º pelo Santos.

  Sem dar chance para o adversário, Flamengo dá o troco no Del Valle e vence por 4 a 0

Leia Também:  Aiello analisa estreia do Flamengo na Libertadores: ''Se não vencer, será por causa da altitude''

Dois minutos depois, o Alvinegro da Vila Belmiro tratou de acabar com a partida. Marinho receba na direita, entorta a marcação e cruza para Lucas Braga, fazer o terceiro do Peixe e não dar mais nenhuma chance de reação para o adversário. É também o 2º dele na Libertadores, e o 3º com o manto santista.

Aos 10 minutos, Fabra deu entrada criminosa em Marinho, e levou o cartão vermelho direto.

Mais uma vez João realizou uma ótima partida! (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

A partir da expulsão, o Peixe cadenciou a partida, e teve ainda mais controle do jogo.

Aos 23 minutos, quase Marinho marca o quarto gol, após se livrar da marcação na entrada da área. Três minutos depois, João Paulo realizou a grande defesa da partida, em jogada de puro reflexo após cabeçada de Villa. O arqueiro do Peixe voltou a ser titular após John testar positivo para a Covid-19, e realizou mais uma vez, uma ótima partida, com muita segurança embaixo das traves.

Dez minutos depois, Madson também perdeu a chance de marcar o quarto gol após puxar rápido contra-ataque.

O árbitro sinalizou seis minutos de acréscimos, e foi só aguardar para comemorar a classificação para a grande final.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Esportes

Há 27 anos, Marcelinho Carioca estreava pelo Corinthians

Publicados

em


No dia 19 de janeiro de 1994, um dos maiores ídolos da história do Corinthians fazia a estreia com a camisa alvinegra: Marcelinho Carioca. O meia fez a primeira partida dele pelo Timão em amistoso contra o Comercial, no Pacaembu. A partida vencida por 1 a 0 pelo Alvinegro do Parque São Jorge foi o início de uma história de alegrias e glórias, que pode ser numericamente resumida em 433 jogos, 206 gols e oito títulos.

Marcelinho teve, ao todo, três passagens pelo Timão: 1994 a 1997, 1998 a 2001 e 2006. Tempo suficiente para ganhar quatro Paulistas (1995, 1997, 1999 e 2001), uma Copa do Brasil (1995), dois Brasileiros (1998 e 1999) e um Mundial de Clubes da FIFA (2000).

Referência em bolas paradas, o Pé-de-Anjo, apelido que ganhou graças às cobranças magistrais, é também o quinto maior artilheiro da história do clube, colecionando gols bonitos, decisivos e inesquecíveis com a “segunda pele” dele – maneira carinhosa com que o próprio craque chama o manto alvinegro.

  Comentarista alfineta Corinthians e diz que o time precisa de um novo treinador

Leia Também:  Vitória é derrotado para o CSA de 3 a 0 no Estádio Rei Pelé

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA