Home Cidades Enquete escolhe nome para potro recém-nascido que irá integrar a Cavalaria da...

Enquete escolhe nome para potro recém-nascido que irá integrar a Cavalaria da PMMT

0

A escolha do nome está sendo realizada pela rede social da PMMT. As opções de nomes são Eragon, Elmo e Escocês.

Uma enquete está sendo feita para escolher o nome do mais novo filhote da Cavalaria da Polícia Militar de Mato Grosso (PMMT). A votação realizada no perfil oficial da corporação na rede social começou na terça-feira (11). As opções de nomes são Eragon, Elmo e Escocês.

De acordo com o comandante do Regimento de Policiamento Montado (RPMon), tenente-coronel Walmir Rocha Barros, a ideia surgiu dentro da corporação com os próprios policiais, alunos da escola de equitação e estagiários. O potro nasceu na sexta-feira (7).

Ao G1, o tenente disse que a ‘brincadeira’ – assim dito por ele – por meio da enquete está tendo grande repercussão e tanto os policiais quanto a comunidade estão gostando. A votação é feita pelos seguidores no perfil oficial da polícia no Instagram.

“Está sendo legal, pois é muito importante. A cavalaria tem essa face social, desde a característica do destacamento e a intimidade com o público. As pessoas sabem o nome do cavalo ou do policial que vai às ruas. Essa interação com a comunidade faz bem e vai ao encontro com nossa filosofia de política comunitária”, contou Walmir.

O tenente-coronel explicou que os nomes sugeridos foram escolhidos pelas pessoas que trabalham na corporação. A inicial dos nomes faz parte de uma metodologia de controle de animais e nascimentos. Cada ano é definida uma letra inicial do nome.

Neste ano é a letra E, a cavalaria tem três potros nascidos e dois já têm nomes, o Embaixador e Euro. O terceiro nome será dado após a conclusão da enquete.

No ano passado, em 2019, na cavalaria não houve nascimentos, os filhotes foram comprados. Alguns dos nomes da tropa adquirida foram Duquesa, Dama, Delicada, Diamante,

Em 2018, teve três potrinhos nascidos e se chamam Conquista, Cobiça e Chacal.

Na publicação da enquete, vários outros nomes foram sugeridos pelos seguidores, além dos que foram escolhidos oficialmente pelos polícias da cavalaria, segundo o tenente.

“Os seguidores estão dando várias sugestões de nomes, como Eldorado, Egito e Egeu. Eles até explicam os significados, como escolhido por Deus. Nós estamos adorando. A interação com a comunidade é importante e isso mostra valores”, explicou o comandante.

Walmir explicou que o filhote de cavalo faz parte do programa de reprodução da corporação. O potrinho é o terceiro animal nascido a partir das éguas e cavalos da cavalaria do estado.

Esses animais que não vão para rua trabalhar com os oficiais ficam alojados na fazenda escola no Campus São Vicente do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

O programa busca a manutenção dos animais do quartel. Um cavalo pode trabalhar até 18 anos diretamente. Mas há registros de uma égua que trabalhou até 37 anos no estado de Goiás, segundo o comandante.

Segundo o comandante da RPMon, a enquete deve durar uma semana. O nome deve ser escolhido pela quantidade de votos, e até o momento o nome de maior preferência é o Escocês.

Assim que o prazo acabar e o nome do filhote for escolhido, à PMMT vai comunicar o nome escolhido ao público também pela rede social.

O comandante ainda disse que o nome ser decidido a corporação deve sortear um brinde para os seguidores que participaram da enquete.

“O cavalo é um animal simpático, atrai o público. As pessoas se aproximam para tirar foto. Essa proximidade abre as portas com a população e a comunidade denuncia”, declarou o tenente-coronel, comandante do Regimento de Policiamento Montado.

Questionado sobre a efetividade da atuação da Cavalaria na Segurança Pública na sociedade, o tenente explicou que a é alta. A eficiência da cavalaria é proveniente da interação com o público, que se torna um elo de ligação. As pessoas fazem denúncias, de acordo com o oficial.

Walmir explicou que, por meio das denúncias, a corporação fez capturas de foragidos da Justiça, praticantes de furtos e crimes bárbaros, como roubo e latrocínio. Essa proximidade da cavalaria com a população é mais que importante é essencial, pontuou.

A cavalaria do estado conta no momento com 42 animais, entre cavalos, éguas e filhotes. Alguns animais foram adquiridos e outros são nascidos dentro da corporação por meio da seleção das éguas e cavalos que servem a tropa.

G1

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta