Economia

Uber abre 100 vagas para engenharia e quer dobrar equipe de tecnologia

Publicados

em

source
Uber abre 100 vagas para engenharia e quer dobrar equipe de tecnologia
Lorena Amaro

Uber abre 100 vagas para engenharia e quer dobrar equipe de tecnologia

A Uber anunciou nesta quinta-feira (12) contratações para equipe de Engenharia no Brasil. Até o fim de 2022, o objetivo da empresa é que seu Centro de Tecnologia passe de cem para 250 profissionais.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

As cem novas vagas já estão abertas e são destinadas principalmente para a equipe de Tecnologia focada em desenvolvimento de soluções para pedidos por meio da plataforma, em especial, o serviço integrado ao aplicativo Uber que permite aos usuários realizar compras de mercado e em outros varejos. As inscrições podem ser feitas pelo site  https://www.uber.com/br/pt-br/careers/. Outras 50 vagas foram anunciadas no início do ano.

As novas funções ficarão baseadas na nova sede da Uber no Brasil, em Osasco (SP). A empresa adotou o modelo de trabalho híbrido, em que os funcionários precisam trabalhar de maneira presencial apenas em alguns dias da semana. No caso da Engenharia, os profissionais podem optar por trabalhar de forma 100% remota.

O chefe do Centro de Tecnologia da Uber no Brasil, Rafael Pereira, afirma que um dos aspectos mais interessantes de se trabalhar na área de Tecnologia da Uber é que os times são realmente integrados a vários outros países do mundo.

“Ao mesmo tempo que estamos lançando novas ferramentas no aplicativo de viagens, alguém está pensando na integração com um aplicativo de delivery e outro time está trabalhando na interface que o app precisa ter para prestar serviços corporativos”, detalha ele.

Processo seletivo online

O processo seletivo será totalmente on-line e está aberto para profissionais de todo o país.

Para quem quiser saber mais sobre os projetos desenvolvidos pelo Tech Center da Uber no Brasil, a empresa também está organizando um encontro no dia 26 de maio, às 19h. O bate-papo informal para contar sobre os desafios da equipe de Tecnologia focada em desenvolvimento de soluções para pedidos. As inscrições podem ser feitas  pelo link.

Leia Também:  Vai sacar o FGTS? Veja onde investir o dinheiro, segundo especialistas

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Caixa paga Auxílio Brasil para beneficiários com NIS final 5

Publicados

em

A Caixa Econômica Federal paga nesta terça-feira (24) a parcela de maio do Auxílio Brasil aos beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) de final 5. O valor mínimo do benefício é R$ 400. As datas seguem o modelo do Bolsa Família, que pagava nos dez últimos dias úteis do mês.

O beneficiário poderá consultar informações sobre datas de pagamento, valor do benefício e composição das parcelas em dois aplicativos: Auxílio Brasil, desenvolvido para o programa social, e Caixa Tem, usado para acompanhar as contas poupança digitais do banco.

Atualmente, 17,5 milhões de famílias são atendidas pelo programa. No início do ano, 3 milhões foram incluídas.

Benefícios básicos

O Auxílio Brasil tem três benefícios básicos e seis suplementares, que podem ser adicionados caso o beneficiário consiga emprego ou tenha filho que se destaque em competições esportivas, científicas ou acadêmicas.

Podem receber o benefício famílias com renda per capita até R$ 100, consideradas em situação de extrema pobreza, e até R$ 200, em condição de pobreza.

Leia Também:  Governo lança tecnologia para venda de veículos por meio digital

Benefício permanente

Na semana passada, o presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a medida provisória que torna o Auxílio Brasil de R$ 400 um benefício permanente. A sanção foi publicada no Diário Oficial da União.

A proposta inicial do governo federal previa que esse valor valesse apenas até dezembro de 2022. Os parlamentares, no entanto, decidiram tornar o valor permanente, e o texto aprovado pelo Senado, no último dia 4, já tornava o piso de R$ 400 permanente com a inclusão de uma espécie de complemento ao valor do Auxílio Brasil. Antes, o benefício tinha o tíquete médio de R$ 224.

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência da República, o governo gasta cerca de R$ 47,5 bilhões anuais só com o volume regular do Auxílio Brasil. A estimativa é de que o governo precise desembolsar outros R$ 41 bilhões por ano para bancar o valor complementar ao benefício.

“A sanção presidencial é importante para efetivar o Programa Auxílio Brasil, tornando-o perene à sociedade, mitigando o gargalo financeiro relativo aos mais necessitados”, disse a pasta.

Leia Também:  BID abre linha de crédito de US$ 1,2 bi para agropecuária no Brasil

Edição: Denise Griesinger

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA