Economia

Auxílio Brasil de R$ 600 começa a ser pago na semana que vem

Publicados

em

Auxílio Brasil de R$ 600 começa a ser pago na semana que vem
Divulgação

Auxílio Brasil de R$ 600 começa a ser pago na semana que vem

O adicional de R$ 200 do Auxílio Brasil começa a ser pago na próxima terça-feira (9). Com isso, o valor do benefício passa dos atuais R$ 400 para R$ 600. O aumento vale até dezembro deste ano.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O governo decidiu antecipar o calendário de agosto. O pagamento estava previsto para acontecer entre os dias 18 e 31, de acordo com o número final do NIS (Número de Identificação Social) dos beneficiários. Agora, as parcelas serão pagas de 9 a 22 de agosto.

Veja o calendário abaixo:

  • NIS de final 1 – 9 de agosto
  • NIS de final 2 – 10 de agosto
  • NIS de final 3 – 11 de agosto
  • NIS de final 4 – 12 de agosto
  • NIS de final 5 – 15 de agosto
  • NIS de final 6 – 16 de agosto
  • NIS de final 7 – 17 de agosto
  • NIS de final 8 – 18 de agosto
  • NIS de final 9 – 19 de agosto
  • NIS de final 0 – 22 de agosto
Leia Também:  Brasil reafirma hegemonia no Sul-Americano de Basquete Feminino

O acréscimo só foi possível graças à chamada PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Eleitoral, promulgada pelo Congresso Nacional no dia 14 de julho. A proposta instituiu estado de emergência e permitiu ampliar benefícios em ano eleitoral.

Além do aumento do Auxílio Brasil, o texto também permitiu dobrar o valor do vale-gás e criar um “voucher” de R$ 1 mil para caminhoneiros e um auxílio também de R$ 1 mil para taxistas. Todas as medidas valem até o fim deste ano.

 O custo total do ‘pacote de bondades’ chega a R$ 41,2 bilhões.

O governo também decidiu incluir mais 2,2 milhões de famílias no Auxílio Brasil neste mês.  Com isso, o programa deve chegar a mais de 20,3 milhões em agosto.

A ideia é zerar a fila do programa até o mês que vem. Quem se inscrever depois de agosto, porém, não terá garantia de ser contemplado. A PEC só reserva orçamento para incluir quem estava na fila até a data da sua promulgação.

Leia Também:  Sob Bolsonaro, defasagem da tabela do Imposto de Renda chega a 24,49%

Quem tem direito ao Auxílio Brasil?

Podem receber o Auxílio Brasil famílias:

  • em situação de extrema pobreza, com renda mensal per capita de até R$ 105;
  • em situação de pobreza, com renda mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210;
  • em regra de emancipação: quando o beneficiário consegue um emprego formal, mas tem direito ao benefício desde que a renda familiar mensal não ultrapasse R$ 525 por pessoa

Em todos os casos, é necessário que estejam inscritas no CadÚnico.

Pagamento

Os cartões e senhas usados para saque do Bolsa Família continuam válidos e podem ser utilizados para o recebimento do Auxílio Brasil.

Em julho, os beneficiários começaram a receber novos cartões do Auxílio Brasil, em substituição aos do Bolsa Família. Não é necessário fazer uma solicitação do cartão. Ele será distribuído gratuitamente a quem já está no programa. 

O dinheiro também pode ser movimentado via Poupança Social Digital, pelo aplicativo Caixa Tem.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Banco do Brasil tem lucro recorde de R$ 14,4 bi no primeiro semestre

Publicados

em

Banco do Brasil
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Banco do Brasil

O Banco do Brasil (BB) voltou a bater recorde semestral de lucro. De janeiro a junho, a instituição financeira teve lucro líquido ajustado de R$ 14,4 bilhões, crescimento de 44,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Em nota, o BB informou que a melhoria dos lucros decorreu do aumento da margem financeira bruta, da diversificação das receitas (principalmente de serviços) e do crescimento abaixo da inflação das despesas.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Apenas no segundo trimestre, o lucro líquido ajustado alcançou R$ 7,8 bilhões, resultado 18% acima do primeiro trimestre de 2022 e 54,8% acima do segundo trimestre de 2021. O retorno sobre patrimônio líquido (RSPL) do segundo trimestre chegou a 20,6%, o que, segundo o BB, representa um índice semelhante ao dos bancos privados.

De acordo com o BB, parte da melhoria decorre do crescimento do crédito com a manutenção do índice de inadimplência abaixo da média do Sistema Financeiro Nacional. A carteira de crédito ampliada encerrou junho em R$ 919,5 bilhões, 19,9% acima do registrado em junho de 2021 e 4,1% acima do observado no fim do primeiro trimestre.

Indicador usado para medir a solidez financeira, o Índice de Basileia atingiu 17,54%, dos quais 12,49% de capital principal. Para cada R$ 100 emprestados, a instituição mantém R$ 17,54 em caixa, dos quais R$ 12,49 correspondem ao capital principal. Esses níveis são um dos mais altos entre os bancos brasileiros.

Leia Também:  Fenômeno! Juliette revela que não tem o sonho de cantar fora do Brasil

Segmentos

Na distribuição por segmentos de crédito, a carteira pessoa física ampliada cresceu 14,1% em relação a junho do ano passado e 2,1% em relação a março deste ano. Os destaques foram o crédito consignado (+2,3% no trimestre e +10,5% no ano), empréstimo pessoal (+3,5% no trimestre e +29,3% no ano) e cartão de crédito (+5% no trimestre e +51,7% no ano).

Em relação ao crédito para empresas, a carteira pessoa jurídica ampliada expandiu-se 19,1% em 12 meses e 4,9% no trimestre. Os melhores desempenhos foram registrados em recebíveis (+9,5% no trimestre e +59,1% no ano), títulos e valores mobiliários privados e garantias (+4,5% no trimestre e +59% no ano) e capital de giro (+5,1% no trimestre e +6,5% no ano). O Pronampe, linha de crédito para micro e pequenas empresas, soma mais de R$ 6,5 bilhões, beneficiando mais de 62 mil negócios.

O crédito para o agronegócio encerrou junho em R$ 262 bilhões, alta de 27,3% em relação a junho do ano passado e de 2,9% sobre março de 2022. Os destaques foram os certificado de direitos creditórios do agronegócio (+34,8% no trimestre e +463,4% no ano), da cédula de produto rural e garantias (+28,8% no trimestre e +74,4% no ano) e investimento (+4,7% no trimestre e +62% no ano).

As operações de crédito sustentáveis, que respeitam parâmetros sociais e ambientais, atingiram R$ 292,2 bilhões no fim do primeiro semestre, com alta de 13,3% em 12 meses. Apenas no segmento do agronegócio, o BB informa que 46% das operações de crédito são consideradas sustentáveis.

Leia Também:  Governo anuncia contratações do programa Médicos Pelo Brasil

Receitas e despesas

As receitas de prestação de serviços somaram R$ 15,4 bilhões no primeiro semestre, aumento de 9,1% em 12 meses. No segundo trimestre, atingiram R$ 7,8 bilhões, com alta de 4,3%. O crescimento trimestral foi influenciado pelo desempenho comercial nos segmentos de operações de crédito (+26%) e de administração de fundos (+8,7%).

As despesas administrativas alcançaram R$ 16,5 bilhões nos seis primeiros meses do ano, alta 5,8% na comparação com o primeiro semestre de 2021. No segundo trimestre, somaram R$ 8,3 bilhões, 1,3% acima do trimestre anterior. De acordo com o BB, o banco conseguiu fazer com que os gastos subissem menos que a inflação no período.

Projeções

O Banco do Brasil também revisou as projeções para 2022. A estimativa de lucro ajustado saltou de um intervalo entre R$ 23 bilhões e R$ 26 bilhões para uma faixa entre R$ 27 bilhões e R$ 30 bilhões. A previsão de crescimento do volume de crédito neste ano foi elevada, passando de 8% a 12% para uma faixa entre 12% e 16%. O crescimento das receitas com serviços, que estava entre 4% e 8%, foi elevado para 6% a 9%. A previsão para as despesas administrativas foi mantida, com alta de 4% a 8% neste ano.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA