Cidades

Obras do novo Hospital Julio Muller estão em fase de drenagem do terreno

Publicados

em


A construção do novo Hospital Julio Muller está em fase de execução da drenagem do terreno. As obras foram retomadas pelo Governo de Mato Grosso em novembro de 2021, após mais de seis anos de paralisação.

A área da nova unidade tem 147 hectares e está localizada no km 16 da MT-040, entre Cuiabá e Santo Antônio de Leverger. De acordo com a Secretaria Adjunta de Obras Especiais da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT), os serviços seguem dentro do cronograma de execução e são fundamentais para preparar o terreno e garantir a qualidade da obra.

A ordem de serviço para o início das obras foi assinada no dia 03 de novembro de 2021. O secretário adjunto de Obras Especiais, Isaac Nascimento Filho, explica que a licitação do hospital foi realizada no modelo de Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCi), no qual a empresa vencedora é responsável por elaborar os projetos e depois executar as obras.

Após a conclusão do processo licitatório em dezembro de 2020, os projetos começaram a ser elaborados em janeiro de 2021. “Foi feito um escaneamento da estrutura toda e esse levantamento constatou que a construção que está lá hoje está preservada e vai ser aproveitada”, explica Isaac.

Leia Também:  Mato Grosso lidera com mais oito estados ações contra desmatamento ilegal

A obra é executada pelo Consórcio JL-MBM e tem previsão de ser concluída até o fim de 2024. Realizada em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a obra está orçada em R$ 207,4 milhões, sendo 50% em recursos próprios do Governo de Mato Grosso e outros 50% da União.

Com um total de 58,5 mil metros quadrados de área construída, o novo hospital será o maior de Mato Grosso, com 228 leitos de internação, 68 leitos de repouso, 63 leitos de UTI, sendo 18 pediátricos 25 neonatais, além de 12 centros cirúrgicos, 85 consultórios, 45 salas de exame, 21 salas para banco de sangue e triagem.

“O novo Hospital Universitário Júlio Müller é mais uma obra fundamental para o estado de Mato Grosso e que o governador Mauro Mendes colocou como uma das prioridades de sua gestão”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira.

Histórico

As obras do novo Hospital Universitário Júlio Muller começaram em 2012 e estavam previstas para serem entregues em 2014, antes da Copa do Mundo, quando a unidade serviria de apoio para os visitantes da cidade. Devido ao não cumprimento do cronograma, o contrato com a antiga empresa foi rescindido em 2014, com apenas 9% do projeto executado e a obra permaneceu paralisada desde então.

Leia Também:  Governador: "Estamos trabalhando para que MT seja uma das 10 melhores educações do país"

A atual gestão assumiu todos os projetos do hospital, que precisaram ser refeitos. A licitação foi lançada em maio de 2020 e teve seu resultado publicado em dezembro, com o consórcio JL-MBM sendo declarado vencedor.

A UFMT será responsável pela gestão do hospital, a partir da sua entrega. Além de atender a população da baixada cuiabana, o novo Júlio Muller terá importante papel para a formação acadêmica na área de saúde.

A retomada das obras do novo Hospital Universitário Júlio Muller faz parte do programa Mais MT, sendo classificada pelo governador Mauro Mendes como uma de suas principais ações e uma virada de página na história de obras paralisadas em Mato Grosso.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Cidades

Mato Grosso lidera produção agropecuária brasileira por 4 anos consecutivos

Publicados

em


A cada ano Mato Grosso ganha mais destaque na produção nacional agrícola. Em quatro anos, o Estado apresentou crescimento de 69% do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), segundo dados do Governo Federal. Em 2018, quando alcançou o 1º lugar brasileiro, obteve VBP de R$ 114,5 bilhões, no ano seguinte chegou a R$ 124,1 bi, em 2020 alcançou a marca de R$ 175 bi e fechou 2021 com R$ 193 bi.

Atualmente o Estado detém mais de 17% da produção agrícola nacional, seguido pelo Paraná na 2ª posição, São Paulo aparece na 3ª colocação, Minas Gerais em 4º lugar e o Rio Grande do Sul em 5º, no ranking.

Mato Grosso é o maior produtor de soja, milho, algodão e bovino do país. Juntas as quatro commodities são responsáveis por 93,5% do valor bruto arrecadado no Estado, totalizando R$ 180.571,02 bilhões.

Conforme levantamento do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Mato Grosso tem 35 dos 100 municípios mais ricos do agronegócio no Brasil. A agropecuária tem participação importante no PIB do Estado, estimada em 21,36%.

Leia Também:  Dia de Campo sobre cultivo da uva Niágara terá parreiral de mais de 25 anos como referência

Seis municípios despontam em produção agropecuária. São eles Sorriso, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Diamantino, Nova Ubiratã e Nova Mutum.

Os municípios do Estado com melhor desempenho na área acumulam R$17 bilhões sobre o valor de produção brasileira. Este número equivale a 30% da produção estadual, cerca de 15% da registrada no Centro-Oeste e aproximadamente 5% da produção nacional.

Investimentos e tecnologia

As motivações para este salto positivo ano a ano, de acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda foram as ações do governo do Estado e a tecnologia utilizada no campo.

“O plano viário do Estado foi muito importante para consolidar a expansão do setor. Hoje temos uma malha rodoviária de qualidade, além do reforço dos transportes hidroviário e ferroviário. A modernização das técnicas aplicadas nas safras subseqüentes foi outro fator decisivo para o crescimento. Tudo isso somado leva aos excelentes resultados que Mato Grosso vem colhendo”, destaca.

Ferrovia estadual

Em setembro de 2021, o governador Mauro Mendes assinou um contrato para construção da primeira ferrovia estadual, que ligará os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. O investimento totalmente privado será de R$ 11,2 bilhões.O início das obras está previsto no segundo semestre deste ano.

Leia Também:  Inclusão de atividade remunerada na CNH pode ser feita pelo MT Cidadão

No total serão construídos 730km malha ferroviária que vão conectar o polo produtivo do Estado ao Porto de Santos (SP).

O modal além de auxiliar no escoamento de grãos e fortalecer a logística do agronegócio em Mato Grosso, será responsável pela geração de mais de 230 mil empregos diretos e indiretos. 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA