Cidades

Gefron capacita policiais de MT e outros dois estados para atuação na fronteira

Publicados

em


O Grupo Especial de Segurança de Fronteira (Gefron) capacitou cerca de 500 alunos da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, Polícia Militar de Mato Grosso do Sul e Polícia Civil de Rondônia, em 2021. Foram ministradas 1.805 horas/aulas de cursos e instruções, com destaque para o Estágio de Adaptação à Ambiente de Fronteira (EAFRON), realizado cinco vezes no ano passado.

Para o coordenador do Gefron, tenente-coronel PM Fábio Ricas, apesar da pandemia, o ano de 2021 superou as expectativas quanto à quantidade de cursos ministrados. “Somamos um número bastante expressivo, o que  mostra nosso preparo para atuar no combate aos diferentes crimes comuns na região de fronteira, além de demonstrar toda experiência adquirida e que está sendo vista como modelo para outras instituições e estados brasileiros”.

Entre os campos de conhecimento compartilhados pelo Gefron estão: o 4º Curso de Policiamento de Fronteira (CPFron), o 2º Curso de Patrulha de Interdição de Fronteira, as instruções de tiro de combate, de patrulhamento rural e abordagem policial e uma palestra ministrada para a Polícia Militar de Mato Grosso do Sul.

Leia Também:  Programa Nota MT completa dois anos e já entregou mais de R$ 11 milhões aos sorteados

Nas cinco edições do EAFRON, que somaram 480 horas/aulas, houve a participação de policiais militares dos Comandos Regionais de Vila Rica e Peixoto de Azevedo, que durante treinamento de adaptação, tiveram a oportunidade de conhecer a rotina operacional de policiamento de fronteira. Nesse treinamento, o Gefron realizou o 1º Curso de Operações Táticas a policiais civis do Estado de Rondônia, que passaram pelo estágio de 96 horas/aulas. 

Além disso, um grupo de policiais do Batalhão de Policiamento Militar de Proteção Ambiental também passou pela formação durante o 4º Curso de Policiamento Ambiental. Em 2021, os novos operadores que passaram a compor a tropa do Gefron participaram de 754 horas/aulas no 4º Curso de Policiamento de Fronteira (CPFRON). Os policiais também participaram do 2° Curso de Patrulha de Interdição de Fronteira (CPIFRON), que orientou sobre o enfrentamento ao tráfico de drogas na modalidade a pé. 

Treinamento contínuo

Como parte do ciclo permanente de aperfeiçoamento de conhecimento, os operadores do Gefron aprimoraram suas experiências de policiamento de fronteira durante 192 horas/aulas, em cinco edições da Instruções de Nivelamento e Aperfeiçoamento do Conhecimento (Inac). Este módulo é realizado todos os anos, a fim de aperfeiçoar os serviços de combate aos crimes comuns na região de fronteira com a Bolívia. 

Leia Também:  Professores ajudam indígenas que aprendem a ler e a escrever em português a manterem a língua nativa Nambikwara em MT

Outros cursos

O Gefron ainda ministrou os seguintes cursos:  Instrução de tiro de combate em ambiente rural, durante o 6º Curso de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do Corpo de Bombeiros Militar; Instrução de patrulhamento rural no 8º Curso de Operações da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam); Instrução de abordagem policial ao Batalhão da PM de Sinop e palestra ministrada à PM de Mato Grosso do Sul. 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Cidades

Mato Grosso lidera produção agropecuária brasileira por 4 anos consecutivos

Publicados

em


A cada ano Mato Grosso ganha mais destaque na produção nacional agrícola. Em quatro anos, o Estado apresentou crescimento de 69% do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), segundo dados do Governo Federal. Em 2018, quando alcançou o 1º lugar brasileiro, obteve VBP de R$ 114,5 bilhões, no ano seguinte chegou a R$ 124,1 bi, em 2020 alcançou a marca de R$ 175 bi e fechou 2021 com R$ 193 bi.

Atualmente o Estado detém mais de 17% da produção agrícola nacional, seguido pelo Paraná na 2ª posição, São Paulo aparece na 3ª colocação, Minas Gerais em 4º lugar e o Rio Grande do Sul em 5º, no ranking.

Mato Grosso é o maior produtor de soja, milho, algodão e bovino do país. Juntas as quatro commodities são responsáveis por 93,5% do valor bruto arrecadado no Estado, totalizando R$ 180.571,02 bilhões.

Conforme levantamento do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), Mato Grosso tem 35 dos 100 municípios mais ricos do agronegócio no Brasil. A agropecuária tem participação importante no PIB do Estado, estimada em 21,36%.

Leia Também:  Domingo (10): Mato Grosso registra 541.012 casos e 13.851 óbitos por Covid-19

Seis municípios despontam em produção agropecuária. São eles Sorriso, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Diamantino, Nova Ubiratã e Nova Mutum.

Os municípios do Estado com melhor desempenho na área acumulam R$17 bilhões sobre o valor de produção brasileira. Este número equivale a 30% da produção estadual, cerca de 15% da registrada no Centro-Oeste e aproximadamente 5% da produção nacional.

Investimentos e tecnologia

As motivações para este salto positivo ano a ano, de acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda foram as ações do governo do Estado e a tecnologia utilizada no campo.

“O plano viário do Estado foi muito importante para consolidar a expansão do setor. Hoje temos uma malha rodoviária de qualidade, além do reforço dos transportes hidroviário e ferroviário. A modernização das técnicas aplicadas nas safras subseqüentes foi outro fator decisivo para o crescimento. Tudo isso somado leva aos excelentes resultados que Mato Grosso vem colhendo”, destaca.

Ferrovia estadual

Em setembro de 2021, o governador Mauro Mendes assinou um contrato para construção da primeira ferrovia estadual, que ligará os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis a Nova Mutum e Lucas do Rio Verde. O investimento totalmente privado será de R$ 11,2 bilhões.O início das obras está previsto no segundo semestre deste ano.

Leia Também:  Professores ajudam indígenas que aprendem a ler e a escrever em português a manterem a língua nativa Nambikwara em MT

No total serão construídos 730km malha ferroviária que vão conectar o polo produtivo do Estado ao Porto de Santos (SP).

O modal além de auxiliar no escoamento de grãos e fortalecer a logística do agronegócio em Mato Grosso, será responsável pela geração de mais de 230 mil empregos diretos e indiretos. 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

polícia

política

Cidades

ESPORTES

Saúde

É Direito

MAIS LIDAS DA SEMANA