Home Geral Travestis são presas em MT depois de ameaçarem cliente com tesoura após...

Travestis são presas em MT depois de ameaçarem cliente com tesoura após programa, exigirem senha de cartão e gastarem R$ 4 mil

0

Valor combinado pelo programa era de R$ 50, mas logo depois ela exigiu R$ 500. Por fim, as duas ameaçaram a vítima e usaram o cartão dela.

Duas travestis de 21 e 22 anos foram presas nessa segunda-feira (6) suspeitas de extorquirem um cliente, em mais de R$ 4 mil, na região do Zero Quilômetro, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá. Uma delas é venezuelana.

De acordo com a Polícia Civil, elas ameaçaram a vítima com uma tesoura e exigiram que ela fornecesse a senha do cartão de crédito, do qual foi debitado o valor.

As suspeitas foram autuadas em flagrante pelo crime de extorsão qualificada com concurso de pessoas e mediante restrição de liberdade da vítima.

De acordo com a polícia, por volta de 22h, a vítima procurou uma travesti para fazer um programa, inicialmente acordado pelo valor de R$ 50. Após a consumação do ato sexual, a suspeita passou a exigir o valor de R$ 500 pelo programa.

A vítima aceitou pagar o valor, porém, o cartão não passou na máquina da suspeita. Por causa disso, foram até o aeroporto para passar o cartão em outra máquina e, nesse momento, a outra travesti entrou no veículo.

As duas suspeitas e a vítima seguiram até um condomínio para buscar a máquina. A segunda travesti não quis passar apenas o valor combinado e exigiu R$ 1, 1 mil. Após negar passar o valor, a vítima foi atingida com um soco no rosto e em seguida ameaçada com uma tesoura a passar a senha do cartão.

Com a senha, as travestis passaram três vezes o cartão, totalizando R$ 4,2 mil subtraídos da vítima.

Após denúncia da vítima, a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf) começou a apurar o caso e conseguiu identificar e prender as suspeitas, quando chegavam em casa, no Bairro Novo Horizonte, em Várzea Grande.

Com elas foi apreendida uma tesoura de cabo amarelo, que posteriormente foi reconhecida pela vítima como o instrumento usado para ameaçá-la

G1

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta