Home Saúde Surto de sarampo no Brasil alerta para importância da vacina: quem deve...

Surto de sarampo no Brasil alerta para importância da vacina: quem deve tomar?

0

O recente aumento nos números de sarampo, principalmente na região Norte, colocaram o Brasil em alerta. A doença havia sido erradicada em 2001 e seu retorno, além de indicar um problema grave de saúde pública, redobra a necessidade da vacina. Entenda a seguir quem deve tomá-la e como o sarampo afeta o corpo.

Surto de sarampo no Brasil

O Brasil vive um surto de sarampo. De acordo com Ministério da Saúde, o estado do Amazonas contabiliza 263 casos da doença confirmados até o momento, 1368 seguem sob investigação e 125 foram descartados.

Roraima confirmou 200 casos, 177 continuam sendo investigados e 35 foram descartados – sendo confirmadas duas mortes. No Rio de Janeiro, quatro casos estão sob investigação e um deles aponta resultado preliminar positivo.

Em consequência dos elevados casos de sarampo no Brasil e da volta da doença, erradicada no país em 2001, o município de Manaus, com o apoio do Ministério da Saúde, antecipou a campanha de vacinação contra o sarampo, que seria realizada somente em agosto, para abril. Cerca de 191.585 pessoas foram imunizadas contra a doença – 81,2% do público-alvo, composto por crianças de seis meses a cinco anos de idade.

Roraima repetiu o gesto amazonense e 112.971 doses foram aplicadas em pessoas residentes do estado.

Diante da suspeita de surto, a Secretaria da Saúde do Rio de Janeiro e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro também estão realizando ações de prevenção e bloqueio da doença, inclusive com vacinação no Campus da Faculdade de Direito da UFRJ para reforçar a vacinação da população do estado, que em 2017 teve uma cobertura vacinal contra o sarampo de 94,8% em crianças de até um ano de idade.

Sarampo: o que é?

O sarampo é uma doença viral infectocontagiosa, muito comum em crianças, transmitida por secreções das vias respiratórias – seja por meio do espirro ou pela tosse . A doença é considerada de potencial grave, já que sua transmissão é extremamente alta.

 

 

 

Fonte: SaudeVix

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta