Home Destaque Servidores do socioeducativo suspendem greve após desembargadora declarar movimento ilegal em MT

Servidores do socioeducativo suspendem greve após desembargadora declarar movimento ilegal em MT

0

Categoria diz que será mantido o estado de greve em todo o estado até a realização de uma audiência de conciliação. Greve havia sido iniciada no sábado (12).

Os servidores do Sistema Socioeducativo de Mato Grosso decidiram retornar ao trabalho nesta terça-feira (15), após serem notificados da decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) que declarou ilegal o movimento grevista iniciado no último sábado (12) no estado.

A liminar, concedida pela desembargadora Antônia Siqueira Gonçalves após pedido feito pelo governo do estado, prevê aplicação de multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento.

Segundo o sindicato que representa a categoria (SINDPSS-MT), os servidores decidiram suspender a greve durante assembleia realizada ontem na capital, após uma manifestação feita em frente ao Ministério Público Estadual (MP-MT). No entanto, a categoria irá manter o estado de greve.

De acordo com o sindicato, a greve será mantida suspensa para a realização de audiência de conciliação determinada pela Justiça na liminar.

“Ademais, o sindicato reafirma que sempre estará como sempre esteve aberto para tratativas de conciliação com o estado de Mato Grosso, ressaltando ainda que as pautas de reivindicações são legitimas e visa trazer dignidade aos servidores e sdolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas”, diz trecho da nota divulgada pela categoria.

Dossiê

Ontem, a categoria entregou ao MP um dossiê onde alega revelar “a real estrutura do sistema socioeducativo estadual”. Entre os principais problemas listados pelos servidores estão unidades precárias e arrebentadas, com quartos quebrados e sucateados e banheiros sem condições de uso.

Reivindicações

Os profissionais cobram melhoria nas condições de trabalho, realização de um concurso público – uma vez que o efetivo atual seria 50% menor do que o necessário -, a construção de novas unidades socioeducativas no estado e a reforma das unidades que já existem.

G1 MT

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta