Home Agro Notícias Rumo quer ampliar 700 km de ferrovia ligando Rondonópolis a Cuiabá e...

Rumo quer ampliar 700 km de ferrovia ligando Rondonópolis a Cuiabá e Sorriso

0

Para otimizar as operações ferroviárias no Centro-Oeste e incrementar a logística do agronegócio mato-grossense, a Rumo apresentou nesta semana a proposta de ampliação da Malha Norte – que forma, com a Malha Paulista, também sob concessão da Rumo, o principal corredor de exportação do País, ligando Rondonópolis ao Porto de Santos (SP).

O estudo prevê um investimento de R$ 6 bilhões em obras para viabilizar um novo trecho com 700 quilômetros de extensão entre Rondonópolis e Sorriso, passando ppor Cuiabá. Os incrementos logísticos impactarão fortemente a economia da região, tanto por conta do escoamento de grãos de Sorriso como pelo aumento da circulação de cargas industriais e bens de consumo na capital mato-grossense.

O assunto foi debatido nesta segunda (10) no encontro “Ferrovia em Cuiabá, integração e desenvolvimento”, realizado pelo Fórum Pró-Ferrovia na capital mato-grossense. Durante o encontro, o diretor regulatório institucional da Rumo, Guilherme Penin, explicou a importância dessa extensão da Malha Norte: “Chegar a Sorriso permitirá escoar a produção agrícola do Meio-Norte, pois será melhor atendida pela ferrovia. No caminho, os trilhos alcançarão também a região de Cuiabá, que constitui o maior centro consumidor e industrial do Estado”. Trata-se de uma área de baixo impacto ambiental e que propicia sinergia com as atuais oficinas, postos de abastecimento e equipamentos de manutenção de via que a Rumo administra em Mato Grosso.

A construção desse novo trecho está atrelada ao processo de renovação antecipada da concessão da Malha Paulista, que foi aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em 29 de agosto, e publicado no Diário Oficial da União (DOU) dois dias depois. Esta é uma etapa fundamental para a conclusão do processo. A proposta agora se encontra sob análise do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, seguindo depois para a análise a aprovação do Tribunal de Contas da União (TCU).

A prorrogação da concessão por mais 30 anos (até 2058) viabilizará R$ 6 bilhões em investimentos, elevando a capacidade de transporte entre Rondonópolis (MT) e Santos (SP) dos atuais 30 milhões de toneladas/ano para 75 milhões de toneladas/ano. Ou seja, um crescimento de 150%. Esse aporte será direcionado a duplicações de trechos, modernização das vias, ampliações de pátios e obras diversas para reduzir os impactos urbanos nas cidades por onde os trilhos passam.

A resolução do gargalo representado pela Malha Paulista abrirá caminho para a extensão da Malha Norte até Cuiabá e Sorriso. A concessionária estuda quatro possíveis traçados para essa extensão, todos ainda em fase de análise de viabilidade técnica. Contabilizando todas as etapas de planejamento e execução, a previsão é que as operações possam ser iniciadas em 2023.

Durante o encontro, representantes do Fórum Pró-Ferrovia em Cuiabá assinaram um documento de apoio à expansão da Malha Norte e também à renovação da concessão da Malha Paulista, que será encaminhado ao Ministério dos Transportes e ao TCU. Entre os signatários, estão; a Prefeitura e a Câmara de Vereadores de Cuiabá, Governo de Mato Grosso, o Consórcio do Vale do Rio Cuiabá (composto por 13 municípios), senador Wellington Fagundes, representando o Senado Federal, deputado federal Nilson Leitão, representando a Câmara dos Deputados; e entidades que integram o Fórum Pró-Ferrovia (CDL, FCDL, OAB-MT, FIEMT, AEDIC, FEMAB, Sebrae, Porto Seco, Fecomércio MT, Sinduscon MT, Trade Turismo, Aprosoja Mato Grosso, Corecon MT, UFMT, Crea, Famato e Sindipetroleo). O envolvimento das instituições evidencia o caráter suprapartidário que marcou tanto o evento quanto o apoio ao projeto da Rumo.

Sobre a Rumo

A Rumo é a maior operadora logística com base ferroviária independente do Brasil e América Latina. A Companhia tem mais de 12 mil quilômetros de trilhos formados por quatro concessões em seis estados: São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Com mil locomotivas e 25 mil vagões, a empresa oferece uma gama completa de serviços interligando centros de produção, polos consumidores e portos marítimos.

 

 

 

 

 

Fonte: RDNews

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta