Home Cidades Projeto da escola Plácido de Diamantino vai para Portugal

Projeto da escola Plácido de Diamantino vai para Portugal

0

O professor de química Paulo Henrique de Carvalho, da Escola Estadual Plena Plácido de Castro, localizada no município de Diamantino (a 208 quilômetros a médio-norte de Cuiabá), participou do XXVI Encontro da Sociedade Portuguesa de Química, realizado na cidade de Porto, em Portugal. No evento, o docente apresentou o trabalho intitulado “Game perfil químico: protagonismo e conhecimento sobre a tabela periódica”, desenvolvido na escola.

O evento foi realizado na Universidade do Porto, uma das mais tradicionais da Europa, e contou com pesquisadores de diversos países, como Portugal, Inglaterra e Estados Unidos. Os trabalhos e conferências travaram discussões sobre a química e a educação, abordando, principalmente, o tema tabela periódica visto que 2019 é considerado o ano internacional da tabela periódica.

Segundo o professor, o game é originado de um dos jogos confeccionados na disciplina eletiva “Hakuna Matata”. O jogo “Perfil Químico” é uma adaptação do jogo tradicional Perfil, marca registrada da companhia de brinquedos Grow.

“Todos os componentes do jogo foram adaptados, desde o tabuleiro, que passou a ser a tabela periódica, até o assunto abordado nas cartas. Os alunos pesquisaram características dos átomos e elaboraram dicas relacionadas a estes”, destaca.

Paulo Henrique relata que o objetivo da atividade lúdica é subsidiar o ensino da tabela periódica, aprimorando a compreensão dos alunos em relação à organização dos elementos e suas características.

Conforme o coordenador pedagógico Rodrigo Rocha Oliveira, os jogos e as atividades lúdicas no ensino de química têm sido amplamente utilizados. Ele explica que professores com o intuito de produzir aulas mais dinâmicas fazem o uso desses recursos, pois eles estimulam a curiosidade, a iniciativa de participação e a autoconfiança do aluno. Além disso, aprimoram o desenvolvimento de habilidades linguísticas, mentais e de concentração, e exercitam interações sociais e trabalho em equipe. “Do projeto, participam 30 alunos, todos da disciplina eletiva, mas os professores continuaram utilizando o game em sala de aula normal”, informa.

Na avaliação do coordenador pedagógico, esse trabalho diferenciado é fundamental para melhorar o processo de ensino aprendizagem dos alunos, pois consegue aproxima-los do conhecimento de forma lúdica e atrativa.

“Dentro da escola plena os professores conseguem utilizar sua hora função para incrementar essas atividades em sala de aula, pois tem tempo hábil para isso, e o resultado é este que podemos ver, alunos participativos e atuantes, protagonistas de seu projeto de vida”, assinala.

Equipe

A disciplina eletiva é coordenada pelo próprio Paulo Henrique e pelo professor Alex Junior Barbosa Farias. Eles tiveram a colaboração da professora Deise Morone Perígolo, do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) campus Avançado Diamantino

Folha Max

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta