Home Saúde OMS adverte que redução de voos dificultará combate ao ebola

OMS adverte que redução de voos dificultará combate ao ebola

0

Médicos e equipamentos devem demorar mais para chegar aos locais afetados

aviãoA OMS (Organização Mundial da Saúde) advertiu nesta segunda-feira (25) que a redução de voos ou cancelamento de rotas aéreas aos países afetados pelo surto do vírus do ebola dificultará a luta contra a epidemia. “A redução dos voos para Freetown (capital de Serra Leoa, um dos focos da epidemia) terá um grande impacto na capacidade para trazer equipe e material para responder ao ebola.

Podemos suspender outros programar durante vários meses para nos focarmos apenas no ebola, mas, para isso, precisamos trazer reforços, e isso só será alcançado se os voos voltarem”, disse David McLachlan-Karr, coordenador residente da ONU (Organização das Nações Unidas) em Serra Leoa, citado em comunicado.

Durante os últimos dois dias, o governo do país se reuniu em Serra Leoa com representantes de diferentes organismos das Nações Unidas. Nele, a ONU se comprometeu a aumentar significativamente os esforços para conter a epidemia. “Esta epidemia ainda avança em muitos lugares do país.

Nosso compromisso em Serra Leoa é aumentar tudo o que a ONU está fazendo para conseguir a resposta necessária”, disse por sua vez David Nabarro, coordenador especial do secretário-geral da ONU na luta contra o ebola. Nos próximos dias, a delegação da ONU fará um plano estratégico detalhado do que fazer para tentar acabar com o surto, que continua fazendo vítimas no país.

Até ontem, 24 de agosto, Serra Leoa registrava 639 mortes, dos 904 infectados com ebola. “A situação continua sendo um grande desafio. Faremos todo o possível para acabar com o surto e ajudar o país a voltar à normalidade”, se comprometeu o diretor-geral adjunto da OMS, Keiji Fukuda.

O balanço de mortos por ebola nos quatro países afetados ― Guiné, Libéria, Serra Leoa, Nigéria ― é de 1.427, de 2.615 infectados. A própria OMS reconheceu que a estatística não reflete a realidade e subestima o alcance da doença, por isso está tentando, auxiliada por especialistas no país, obter números mais concretos do que realmente ocorre.

Além disso, ontem a RDC (República Democrática do Congo) confirmou a presença de ebola em seu território, apesar das autoridades do país desvincularem este surto do que surgiu em março na África Ocidental.

BBC Saúde

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta