Home Destaque JBS retoma abate em MT com 35% da capacidade após suspensão de...

JBS retoma abate em MT com 35% da capacidade após suspensão de 3 dias

0

 

Empresa havia suspendido atividade em 10 dos 11 frigoríficos do estado.
Medida visa ajustar produção até que haja uma definição sobre os embargos.

exportacoescarne

frigorifico-SED-1Apesar da retomada dos abates, no entanto, a capacidade operacional dos frigoríficos foi reduzida a 35%. Em Mato Grosso, normalmente, são abatidas 20 mil cabeças de gado por dia. A medida, segundo a JBS S/A, visa ajustar a produção até que haja uma definição sobre os embargos impostos pelos países compradores de carne brasileira. No Brasil, o abate tinha sido suspenso em 33 das 36 unidades da JBS S/A.

No sábado (25), o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que todas as mercadorias enviadas à China pelos frigoríficos investigados na operação deverão retornar ao Brasil ou serem enviadas para outros mercados.

“A China não quer mercadoria dos 21 [frigoríficos investigados], eles estão fora. Está liberado para o restante. Então, as mercadorias que estão na China, desses frigoríficos, deverão retornar, e o que está nos navios deverão retornar ao Brasil ou serão redirecionados a outros mercados que as empresas conseguiram”, afirmou.

Em Cuiabá, a venda de carnes em açougues não foi afetada pela operação, conforme os açougueiros. Em um levantamento feito pelo G1, os proprietários dos estabelecimentos afirmaram que a demanda pelo produto se manteve estável. Eles relataram, no entanto, que a preocupação do consumidor com a origem do produto aumentou.

Operação Carne Fraca
Durante a Operação Carne Fraca, a Polícia Federal prendeu 36 pessoas suspeitas de envolvimento em um esquema de fraude na produção e comercialização de carne. Algumas já deixaram a prisão.

Além de corrupção envolvendo fiscais do Ministério da Agricultura e produtores, a investigação encontrou indícios de adulteração de produtos e venda de carne vencida e estragada. Das 21 fábricas investigadas, 18 ficam no Paraná. Em Mato Grosso, não há nenhuma nessa lista.

Há ainda a suspeita de que partidos políticos tenham sido beneficiados com o pagamento de propina.

Fonte: G1 MT

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta