Home Agro Notícias JBS de Diamantino seria paralisado ainda este mês, após suspensão

JBS de Diamantino seria paralisado ainda este mês, após suspensão

Frigorífico JBS volta a funcionar após intervenção do prefeito de Diamantino e presidente da Câmara.

O fechamento do frigorífico de Diamantino geraria um impacto negativo na economia do município. O frigorífico é uma das maiores empresas instalada na cidade, gerando 1.200 empregos diretos e pelo menos 800 indiretos na unidade que pertence a JBS/Friboi.
A proibição de exportar carne ao exterior se deu após atestada irregularidade sanitária, técnica ou legal das instalações e etapas do processo de produção, assim o registro do estabelecimento foi suspenso pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Após a notícia de que a produção da JBS estaria suspensa, e que a planta localizada em Diamantino não poderia mais exportar carne para todos os países dos quais ela estava habilitada, o prefeito de Diamantino entrou em contato com o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e relatou sobre a possibilidade da paralização dos trabalhos da JBS em Diamantino.
O Ministro se mostrou solidário, mas estava em viagem no exterior, e informou ao prefeito da necessidade de tempo hábil para solucionar o problema da suspensão. Diante disso, Maggi teria sugerido que as lideranças de Diamantino falassem diretamente com o secretário do Ministério.
O prefeito municipal, Eduardo Capistrano, o presidente da câmara de vereadores Jozenil Costa Lube (Bodão), o gerente da unidade Fabion de Almeida e outros responsáveis pela empresa foram a cidade de Lucas do Rio Verde falar pessoalmente com o secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller.
“Com muita tristeza na semana passada recebemos a notícia de que o frigorífico da JBS estaria impedido de funcionar em suas plenas atividades em sua planta de Diamantino, e com certeza isso pra empresa é muito ruim, porque inviabiliza a produção, uma vez que a unidade aqui de Diamantino é uma das melhores da América Latina. Nós entramos em contato com o senador Cidinho, o Ministro Blairo Maggi e fomos a Lucas do Rio Verde falar com o ex-ministro Neri Gueller. Nosso frigorífico gera mais de 1200 empregos e a nossa ideia é de que ele aumente as contratações e não que diminua”, explicou o prefeito.

O presidente da Câmara de Vereadores, Jozenil Costa Lube diz que a preocupação foi grande, mas a ação rápida das lideranças de Diamantino em buscar soluções para a suspensão da JBS teve êxito. “Após os diretores da JBS Fabion e o Willian falarem com o prefeito, ele entrou em contato comigo e decidimos sair para Lucas após adiantar o assunto com o Neri Geller, e eu sempre falo, a JBS é a empresa mais importante no quesito geração de emprego dentro da nossa cidade. O Neri entrou em contato com o Cidinho e Blairo que estava na Inglaterra, e já na segunda uma equipe de inspeção esteve na JBS e na terça-feira já foi liberado o selo para a exportação da carne para a Europa. Quero agradecer e parabenizar o Neri Geller pela humildade, empenho e o respeito com o nosso povo de Diamantino”, disse o presidente da Câmara.

O secretário do Ministério da Agricultura, Neri Geller, falou da importância de estar em Brasília. “Nós conseguimos resolver o problema com relação a JBS de Diamantino e viabilizar novamente a sua produção. Quero dizer da importância do Ministro Blairo Maggi e eu estarmos ligados ao setor produtivo do Brasil, sou produtor em Lucas do Rio Verde desde 1984, portanto, nós estamos muito motivados lá no Ministério da Agricultura. Minha vinda a Diamantino se deve ao convite do prefeito, da Câmara dos vereadores e do Sindicato Rural que sempre estão em contato comigo pra trazer melhorias para esta região”, falou o secretário.
Terça-feira (09), a JBS de Diamantino teve a autorização para retornar a produção, com certificação sanitária de exportação para todos os mercados habilitados.

Ideal MT

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta