Home Agro Notícias Início da primavera terá chuvas irregulares entre Mato Grosso e Goiás

Início da primavera terá chuvas irregulares entre Mato Grosso e Goiás

0

As primeiras pancadas de chuva devem ocorrer em setembro, mas não garantem umidade para a semeadura da safra de verão

OLYMPUS DIGITAL CAMERANo Centro-Oeste, o inverno seguiu um comportamento de chuvas típico da estação, com alguns episódios isolados, e padrão seco prevalecendo. Analisando o período isoladamente, o clima neste inverno, de modo geral, favoreceu as culturas agrícolas da parte central do país.

Definidas as condições do inverno, as expectativas se voltam para a primavera, que chega sob uma condição de relativa neutralidade, na transição climática relacionada ao comportamento dos oceanos.

É fato que, com base nas condições observadas em agosto, o El Niño não está instalado. Afinal, se estivesse, os altos volumes de chuva registrados entre e junho e julho no Sul do Brasil seriam mantidos. O oceano Atlântico Sul também diminuiu o aquecimento observado desde o início do ano, que favorecia a atuação das frentes frias sobre a região Sul do Brasil. O fato de o fenômeno não estar configurado e de não haver tendência de força e duração pela frente significam que a primavera deve ter uma condição climática média e típica da estação.

– Para o Centro-Oeste do Brasil, em especial Mato Grosso e Goiás, as condições climáticas não devem favorecer os agricultores que procuram realizar o plantio de soja logo nos primeiros dias, após o término do vazio sanitário, para garantir uma janela mais ampla para a semeadura de uma segunda safra de milho – explica o climatologista da Somar Paulo Etchichury.

Segundo ele, o risco está associado a um possível atraso no plantio, já que o mês de setembro ainda deve ser seco e quente. A tendência é que as chuvas sejam mais regulares somente a partir de outubro, sendo que a normalização da frequência e a recomposição hídrica do solo só devem ocorrer no decorrer de novembro.

Apenas em Mato Grosso do Sul, especialmente nas lavouras do sul do Estado, o plantio não deve atrasar, tendo em vista que as condições de umidade do solo já se mostram mais favoráveis, em função de chuvas no inverno e previsão de novas chuvas mais cedo na primavera.

Rural BR

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta