Home Geral Greve impede atendimento de 2 mil pacientes em uma semana

Greve impede atendimento de 2 mil pacientes em uma semana

0

Enfermeiros e médicos estão há uma semana sem trabalhar por atraso de pagamento salarial.

A greve dos enfermeiros na Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá completou uma semana nesta segunda-feira (06). Desde então, 2.100 pessoas deixaram de ser atendidas no hospital nesse período, conforme apurou a #reportagem junto aos servidores.

Atualmente 90 leitos da enfermaria estão sem funcionar por causa da paralisação.

Já os médicos da unidade entraram em greve na terça-feira passada (31), um dia depois dos enfermeiros. Ao todo, 120 profissionais cruzaram os braços e no momento só estão atendendo os casos de urgência e emergência. As cirurgias eletivas não são realizadas. Os médicos estão há quatro meses sem receber.

Os enfermeiros não recebem há dois meses.  De acordo com o presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Mato Grosso (Sinpen-MT), Dejamir Soares, a situação permanece indefinida, sem um posicionamento da diretoria da Santa Casa de quando irá regularizar os pagamentos.

Os profissionais contestam o diretor da Santa Casa, Antonio Preza a respeito do valor de R$ 10 milhões que ele teria recebido de emendas parlamentares no mês de maio. Segundo os enfermeiros, a pesar da quantia, Preza não conseguiu regularizar os salários.

Dejamir afirma que inicialmente também estranhou o fato, mas foi convencido por Preza que lhe apresentou um relatório, explicando como o dinheiro da emenda foi aplicado na Santa Casa. O diretor também fará essa prestação de contas na Câmara Municipal, em audiência publica na terça-feira (07).

Outro lado

O diretor da instituição alega que não tem condições de regularizar a situação por causa da falta de repasses dos recursos do SUS, pelo Governo do Estado e pela Prefeitura de Cuiabá.

Os atrasos, segundo Preza, geram dificuldade para manter funcionando os leitos de UTI. Das 10 UTI do hospital, 6 estão ocupadas e 4 desativadas devido à crise financeira.

Essa é terceira vez neste ano que os enfermeiros da Santa Casa paralisam as atividades pelo mesmo motivo. As duas primeiras greves ocorreram nos meses de março e abril.

O Governo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES), por meio da assessoria de imprensa, informou que repassou R$ 439, 2 mil à Santa Casa, no último dia 31 de julho. Os valores são referentes ao custeio da UTI, que conta com 10 leitos. A SES acrescenta que os repasses para o setor estão em dia, coforme a lógica de transferência estabelecida por lei, que determinada que o dinheiro da UTI pode ser repassado pelo Governo em até 60 dias.

A SES também confirmou um débito com Santa Casa que deveria ser repassado no mês de março. Os valores são para o custeio dos setores de Média e Alta Complexidade do hospital. A assessoria não soube informar o valor da dívida.

 

 

 

 

Fonte: ReporteMT

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta