Home Política Bancada evangélica se une contra Globo e quer vetar conteúdo impróprio até...

Bancada evangélica se une contra Globo e quer vetar conteúdo impróprio até as 22h

0

Representante da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional, o deputado federal Victório Galli (PSC-MT) voltou a criticar a Rede Globo pelo conteúdo da novela A Força do Querer. Galli considera impróprio o enredo com temas como ideologia de gênero, tráfico de drogas e adultério.

Ao criticar a Globo, o parlamentar faz coro com a chamada bancada da Bíblia e da Bala. Entre os principais expoentes estão os deputados federais Marco Feliciano (PSC-SP) e Jair Bolsonaro (PSCR-RJ), virtual candidato à presidência da República.

Por isso, Galli apresentou projeto de lei (PL 8674/2017) vedando a exibição do que classifica como conteúdo impróprio, entre 6h e 22h, na TV aberta brasileira. Ele afirma que a medida tem como objetivo preservar o público infantil e espera que seja aprovada o mais rápido possível. “Essa novela que está passando, infelizmente na Globo, está sendo faculdade aberta para ensinar tudo aquilo que não presta, é imoral e antiético. Tem a ideologia de gênero com uma personagem que é mulher e quer ser homem. E não só isso, está ensinando a ser bandido, a montar quadrilha e a esconder armas. Uma afronta àqueles que de fato querem construir sua família com valores morais”, disse Galli, em entrevista a Rádio Capital FM de Cuiabá, na manhã desta segunda (9).

“Qualquer programa ou comercial que influencia crianças com ideologia de gênero, beijo gay, conteúdo homossexual, novelas ou filmes de conteúdo sexual, deve ser proibido nesta faixa de horário. É preciso tomar uma atitude para proteger a infância”, completou o parlamentar.

Em reação contra A Força do Querer, Feliciano divulgou vídeo acusando a Globo de oferecer “curso para bandidos”. A declaração repercutiu entre seus quatro milhões de seguidores nas redes sociais.

“A Rede Globo, em parceria com as instituições do crime organizado, está oferecendo curso de gerenciamento de boca de fumo, traficantes, golpes em geral, tudo isso gratuitamente”, reiterou Feliciano, que é pastor, criticando duramente a novela escrita por Glória Perez.

Já Bolsonaro, que declarou reiteradas vezes que a Globo “defende bandidos”, usou até os indicadores da educação brasileira para apontar a influência da emissora sobre as crianças. Para isso, citou dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa).

“Segundo o Pisa, 70% dos estudantes da nona série do ensino fundamental no Brasil não sabem realizar uma regra de três simples. Outros nem sabem o que é uma regra de três. E outros 70% não sabem fazer a interpretação de um simples texto. Rede Globo, não prejudique nossa tão combalida educação. Respeitem a família brasileira. E, acima de tudo, respeitem as criancinhas”, apelou o presidenciável.

Fonte: RDnews

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta