Home Política Riva usou esposa como ‘laranja’ para receber propina do VLT – Veja...

Riva usou esposa como ‘laranja’ para receber propina do VLT – Veja documentos

0

Representação da Polícia Federal que culminou na Operação Descarilho, autorizada pela Justiça Federal de Mato Grosso, aponta que o ex-deputado estadual José Riva usou a esposa, Janete Riva, como “laranja” para obter vantagens indevidas na implantação do VLT, por meio da subcontratação da empresa Multimental, pelo Consórcio Santa pelo valor global de R$ 11,5 milhões.

Riva foi um dos principais articuladores em Mato Grosso para a troca do modal BRT para o VLT. De acordo com o documento da PF, a pedido de Riva, “sócio oculto” da Multimetal Engenharia de Estruturas, atualmente denominada Industria Metalúrgica BL Steel Ltda, o então governador Silval Barbosa, pediu que o Consórcio Construtor CR Almeida subcontratasse a Multimetal, que tinha como sócios administradores Altair Baggio e Guilherme Lomba de Mello Assumpção.

Ocorre que durante a investigação da 5ª fase da Operação Ararath descobriu-se “contrato de gaveta” em que uma das sócias da empresa seria a esposa do ex-deputado Riva, Janete Riva. Ela teria comprado 40% da empresa Multimetal, à época denominada Baggio e Cia Ltda, por R$ 3,5 milhões. Entretanto o nome dela não veio a constar no quadro societário.

“José Geraldo Riva, por sua vez, foi forte defensor da implantação do modal VLT, fato público e notório e, segundo Silval Barbosa, apesar deste não poder afirmar se houve acerto nos mesmos moldes do acordado com a subcontratação da Cohabita, José Riva pediu que ele (Silval), na condição de governador, intercedesse para que o consórcio subcontratasse a Multimetal, o que, de fato, foi feito. À época, José Geraldo Riva era deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, e a manobra revelada por Silval Barbosa certamente tinha relação com as funções por eles exercidas”, diz trecho do documento que foi divulgado pelo Ministério Público Federal depois que o juiz federal Paulo Cézar Sodré autorizou a retirada do sigilo.

Tal circunstância evidencia que Janete Gomes Riva nada mais era do que a “testa de ferro” de José Riva, “este, sim, o verdadeiro sócio oculto da Multimetal. O uso de “testa de ferro” consiste em uma das tipologias clássicas de lavagem de dinheiro, mormente em casos em que há agentes políticos interessados em auferir vantagems por intermédio de empresas contratadas por entes públicos”, consta em outra parte do documento.

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta