Home Mídia Digital Microsoft confirma demissões em massa no mundo todo

Microsoft confirma demissões em massa no mundo todo

0

Segurança Jurídica e mecanismo de Defesa Ambiental.

Rumores vazados por funcionários da Microsoft se mostraram verdadeiros. Nesta quinta-feira (6), a gigante da tecnologia confirmou que haverá uma demissão em massa devido à uma reorganização global da companhia.

De acordo com a “CNBC”, três quartos das demissões deverão ocorrer em escritórios fora dos Estados Unidos. A empresa ainda não fez o anúncio oficial sobre números, mas estima-se que entre 3.000 a 5.000 vagas sejam fechadas ao redor do mundo.

Segundo apuração do portal “TechCrunch”, a Microsoft afirmou que já deu início ao processo de informar aos funcionários sobre a futura perda de seus empregos. “A Microsoft está implementando mudanças para atender melhor nossos clientes e parceiros”, escreveu um porta-voz da Microsoft em um comunicado.

“Hoje, estamos tomando medidas para notificar alguns funcionários que seus trabalhos estão em consideração ou que seus cargos serão eliminados. Como todas as empresas, avaliamos nossos negócios regularmente. Isso pode resultar em investimentos aumentados em alguns lugares e, de tempos em tempos, reimplantação em outros”, diz a companhia.

A reorganização é resultado na mudança de lideranças dentro da companhia ano passado. Os executivos Judson Althoff e Jean-Philippe Courtois se encarregaram das divisões de vendas e marketing da Microsoft após a saída de Kevin Turner. Althoff vem criticando a abordagem do setor comercial da empresa e pode promover alterações significativas.

O objetivo das demissões também pode ser reestruturar o foco das divisões de marketing e vendas visando dar maior importância à plataforma de armazenamento em nuvem Azure.

Além disso, o ano fiscal da Microsoft termina em julho e no mesmo período houveram demissões nos últimos anos. Em 2016, a empresa cortou 2.850 empregos, sendo 900 da equipe de vendas, segundo o “The Seattle Times”. Já em julho de 2015, realizou 7.800 cortes e registrou US$ 7,6 bilhões em sua aquisição da Nokia.

Tecmundo

NENHUM COMENTÁRIO

Deixe sua resposta